Mauro Pimentel/AFP
Mauro Pimentel/AFP

Nos EUA, prévia das urnas mostra Bolsonaro com maioria dos votos

Candidato do PSL seria eleito no primeiro turno se dependesse apenas dos brasileiros que votaram em Washington

Beatriz Bulla, O Estado de S.Paulo

07 Outubro 2018 | 19h48

Washington - O candidato à Presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, seria eleito no primeiro turno se dependesse dos brasileiros que votaram em Washington, capital dos Estados Unidos. Os números são a soma feita pelo Estado com base nos extratos das urnas eletrônicas impressos após o encerramento da votação.

Os extratos de cada uma das urnas eletrônicas de Washington mostram que Bolsonaro recebeu 2.359 votos, mais da metade do que os seus concorrentes juntos. Na sequência, vem o candidato do PDT, Ciro Gomes, com 736 votos dos brasileiros que votaram em Washington. Em terceiro lugar, pelos eleitores que votaram em Washington, vem João Amoêdo (Novo), com 358 votos. Depois dele, Fernando Haddad (PT), com 294 votos; Geraldo Alckmin (PSDB) com 221 votos; Marina Silva (Rede) com 145 votos; Álvaro Dias (Podemos) com 35 votos; Henrique Meirelles (PMDB) com 27 votos; Guilherme Boulos (PSOL) com 17 votos; Cabo Daciolo (Patriota) com 12 votos; João Goulart Filho (PPL) com 4 votos; e Vera (PSTU) com 3 votos.

No total, 500.727 brasileiros que moram no exterior puderam votar nessa eleição, segundo o Tribunal Superior Eleitoral. Deste número, 160 mil estão nos Estados Unidos. As cidades de Boston e de Miami são as que têm o maior número de brasileiros votando fora do país, com 35.044 e 34.356 eleitores, respectivamente.

Os extratos da votação são impressos em cada seção eleitoral após o encerramento do voto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.