No último dia, petista critica adversário e tucano mira indecisos

Haddad fala em 'boatos falsos' espalhados pela campanha do oponente; Serra pede que militantes convençam 'desiludidos'

O Estado de S.Paulo

28 de outubro de 2012 | 03h09

No último dia de campanha, o candidato Fernando Haddad (PT) criticou o adversário José Serra (PSDB) por espalhar "boatos falsos" pela cidade, enquanto o tucano programou uma blitz em sete pontos da capital para tentar conquistar os votos dos indecisos e reduzir a taxa de abstenção.

Embora tenha minimizado os efeitos de cartazes apócrifos e da divulgação na internet de sites com ataques a suas propostas e boatos sobre o cancelamento do Enem, o candidato petista atacou a atitude da equipe tucana.

"Um ato da campanha do adversário. Não precisava disso. Fazer boato falso não combina com o PSDB, não combina com ninguém", disse Haddad. "Me desagradou muito. Partiu do coordenador das redes sociais do Serra uma campanha difamatória contra um exame tão importante", afirmou o petista, que fez carreata ao lado do candidato derrotado Gabriel Chalita (PMDB) em Interlagos e Cidade Dutra, ambos na zona sul.

Questionado se as informações falsas poderiam prejudicar sua votação, o petista avaliou que, se houver impacto eleitoral com o boato do Enem, será "desfavorável" a Serra, porque o autor seria vinculado ao tucano.

"Não chegou a criar (pânico nos eleitores). Lidar com o sentimento de uma juventude que está se preparando, com esperança de fazer uma faculdade. Não se faz esse tipo de coisa. Não vale a pena usar esse expediente para ganhar um voto a mais."

Indecisos. Serra, por sua vez, iniciou uma ofensiva para tentar conquistar os eleitores que ainda não optaram por nenhum candidato. "Vamos mobilizar para amanhã. Tem muita gente indecisa ou que está desiludida", disse o tucano. "Eu vou dizer: não falta motivo para estarem desiludidos com a política, mas não adianta. A desilusão acaba piorando as coisas. Então vamos trabalhar nesse sentido: convencer a votar e trabalhar os indecisos."

Serra estava com o governador Geraldo Alckmin, diante de cerca de 200 pessoas em evento em uma casa de shows da zona sul, no início da tarde. Havia mais seis atos de campanha previstos para o dia. O tucano pediu que militantes não se desanimem com as pesquisas de intenção de voto. / BRUNO BOGHOSSIAN E FELIPE FRAZÃO

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2012

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.