EVARISTO SA / AFP
EVARISTO SA / AFP

No TSE, Rosa Weber afirma confiança no sistema de urnas brasileiro

Em coletiva, presidente do tribunal volta a dizer que o País utiliza as urnas há 22 anos sem que nenhuma fraude tenha sido constatada

Teo Cury e Lorenna Rodrigues, O Estado de S.Paulo

07 Outubro 2018 | 14h01

BRASÍLIA - A presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Rosa Weber, afirmou sua confiança no sistema de urnas eletrônicas brasileiro. Durante coletiva de imprensa na sede do TSE, em Brasília, neste domingo, 7, Rosa voltou a dizer que o País utiliza as urnas eletrônicas há 22 anos sem que nenhuma fraude tenha sido constatada. Rosa ainda disse que o TSE está aprendendo a lidar com a propagação de notícias falsas. 

De acordo com a presidente da Corte Eleitoral, o sistema é confiável, ágil e seguro. "Mas o mais importante é que ele é um sistema auditável. Se ocorrer fraude algum dia, ela poderá ser constatável", disse Rosa Weber. "Reafirmo minha total confiança em nossas urnas eletrônicas. Sempre onde está o ser humano, seja homens ou mulheres, há possibilidade de fraude. O sistema está aí para repressão à fraude."

Na avaliação de Rosa Weber, a única preocupação do TSE no momento é com a realização das eleições. A presidente do tribunal disse esperar um clima de "absoluta normalidade" e com transparência. "Que eleitor possa exercer voto livremente e de acordo com suas convicções. E que, no final do domingo, possamos dizer que foi mais uma vez uma festa da democracia com o fortalecimento de nossas instituições." 

Urnas eletrônicas

O TSE informou na manhã deste domingo que substituiu 310 urnas eletrônicas que apresentaram problemas em todo o País. As urnas foram trocadas por outras eletrônicas que fazem parte da reserva de contingência do tribunal e não há registro de votação manual em nenhuma seção. As urnas que apresentaram problemas representam 0,06% do total de 454.493 colocadas em seções eleitorais.

Os Estados com o maior número de substituições foram São Paulo (49), Minas Gerais (46), Sergipe (35), Rio de Janeiro (34) e Rio Grande do Sul (30). Em termos porcentuais, as trocas foram feitas principalmente em Sergipe (0,53%), Amapá (0,36%) e Tocantins (0,20%).

Operação Eleições 2018

Em todo Brasil, 175 foram detidas nas primeiras horas do primeiro turno das eleições 2018. Os números foram divulgados pela Operação Eleições 2018, que é coordenada pelo Centro Integrado de Comando e Controle Nacional (CICCN) da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp). As prisões são relativas ao período das 07h até às 13h deste domingo, 7.

Até o momento, o Pará lidera o ranking do número de prisões com 44 detidos. Espírito Santo está na segunda colocação com 17 presos, seguido por Pernambuco (15), São Paulo (12), Mato Grosso (12), Paraná (12) e Sergipe (8). O CICCN não detalhou o motivo das prisões.


 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.