No Rio, manifestantes tumultuam evento com Dilma e Paes

Um protesto de estudantes, que tentaram interromper o discurso da presidente Dilma Rousseff, encerrou antes da hora a festa de entrega de novas moradias do programa Minha Casa Minha Vida, organizada pela Prefeitura do Rio, na zona norte da cidade.

LUCIANA NUNES LEAL, SERGIO TORRES , FELIPE WERNECK / RIO , O Estado de S.Paulo

07 de julho de 2012 | 03h05

Seguranças cercaram os manifestantes para retirá-los da plateia, formada sobretudo por beneficiários do programa, e agrediram universitários. Um tumulto se formou, em frente ao condomínio Bairro Carioca, no bairro de Triagem. Moradores voltaram-se contra estudantes e tentaram expulsá-los. "Fora, fora! Vai fazer manifestação lá fora! Aqui tem distribuição de casa para trabalhador", gritaram os futuros proprietários dos apartamentos.

Dilma continuou o discurso, parecendo desconcentrada. O prefeito Eduardo Paes (PMDB), candidato à reeleição, puxou um coro de "Olê, olê, olê, olá, Dilma, Dilma". "Meu querido, não vou brigar com eles, deixa eles gritarem", disse Dilma. Ela acompanhou o prefeito em duas cerimônias ontem, último dia em que candidatos podiam participar de inaugurações, pela lei eleitoral.

E enfrentou mais protestos, de 50 servidores federais em greve, na inauguração da Coordenação de Emergência Regional, ao lado do Hospital Municipal Miguel Couto, zona sul. O Batalhão de Choque da PM chegou ao local com a comitiva. Ali, Dilma comentou os protestos a jornalistas. "Querido, nós vivemos numa democracia. Vocês querem o quê?"

Por causa das restrições da lei eleitoral, já que a campanha começou oficialmente ontem, autoridades faziam discursos discretos. Na hora da fala de Dilma, na Triagem, o grupo de cerca de 30 estudantes começou a gritar palavras de ordem e exibir cartazes com pedidos de 10% do PIB para educação. Seguranças entraram em ação. "Levei um soco na cara; estamos aqui em defesa da educação", disse Leonardo Guimarães, de 19 anos, aluno da UFRJ.

Dilma falou por dez minutos e a cerimônia foi encerrada sem que Paes discursasse. Quatro fiscais do Tribunal Regional Eleitoral do Rio acompanharam o evento. Segundo o juiz eleitoral Luiz Fernando Pinto, não houve irregularidades.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.