No Recife, petista João da Costa abre 25 pontos de vantagem

João da Costa tem 47% e Mendonça Filho, 22%

Daniel Bramatti,

30 de agosto de 2008 | 00h29

O candidato João da Costa, do PT, saiu da posição de empate técnico com Mendonça Filho (DEM) e assumiu a liderança isolada da corrida pela Prefeitura do Recife. Como a intenção de voto no petista é maior do que a soma dos índices dos adversários, ele pode vencer já no primeiro turno. Veja também: Candidato de Aécio dispara e venceria eleição no 1º turnoNo Rio, Paes e Crivella aparecem tecnicamente empatadosAlckmin cai, Kassab sobe e reduz diferença para tucano Apoiado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pelo governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), e pelo atual prefeito do Recife, João Paulo (PT), João da Costa tem agora 47%, segundo pesquisa Ibope encomendada pelo Estado e pela TV Globo. Já Mendonça Filho ficou com 22% das intenções de voto. Em terceiro lugar está o candidato Cadoca (PSC), com 10%. A seguir vem Raul Henry (PMDB), com 5%. Na pesquisa Ibope anterior, feita há duas semanas, Costa tinha 30% das preferências, e seu principal adversário aparecia com 27%. Como a margem de erro é de três pontos percentuais, não era possível apontar quem estava na dianteira. Em um eventual segundo turno, o Ibope indica que o petista venceria o candidato do DEM por 54% a 35%. Ex-secretário de Orçamento Participativo na gestão de João Paulo, Costa começou a campanha em desvantagem. Em julho, Mendonça Filho, que disputou a reeleição como governador de Pernambuco em 2006 - ele havia assumido o cargo após a saída de Jarbas Vasconcelos, que se candidatou ao Senado - liderava a disputa por dez pontos percentuais (30% a 20%). A situação começou a mudar à medida que a campanha do petista associou seu nome aos dos três padrinhos políticos, todos com altas taxas de popularidade. Segundo o Ibope, a gestão do prefeito João Paulo é considerada ótima ou boa por 65% dos moradores de Recife. Na cidade, o governo Lula é considerado ótimo ou bom por 73%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.