No rádio, Marta reforça parceria com Lula e Dilma

Petista diz que já discutiu com o presidente e a ministra um projeto integrado na área de transportes

Bianca Pinto Lima, do estadao.com.br,

15 de setembro de 2008 | 12h21

A candidata à Prefeitura de São Paulo Marta Suplicy(PT) reforçou durante o programa eleitoral do rádio desta segunda-feira, 15, a parceria que realizará com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, caso seja eleita. A petista afirmou que já desenvolveu um projeto integrado na área de transporte com investimentos em metro, ônibus, obras viárias e fiscalização. "Eu sei que a senhora já apresentou e discutiu esse plano com o presidente Lula e a ministra Dilma", afirmou o locutor. A candidata emendou: "Como ministra do Turismo, participei ativamente desse programa e garanto que São Paulo tem um peso muito grande".   Veja também: Você vai acompanhar o horário eleitoral para definir seu candidato ?  Veja a íntegra da última pesquisa  Multimídia: Perfil dos candidatos  Guia tira dúvidas do eleitor    A petista também apelou para as promessas e disse que, uma semana após a sua vitória nas urnas, o paulistano voltará a carregar o bilhete único na catraca. Marta também aproveitou para criticar o atual prefeito e candidato à reeleição, Gilberto Kassab (DEM). "A validade de três horas (para o bilhete único) que o atual prefeito fez às pressas, por causa da eleição, vai passar a valer também para quem usa vale transporte e passe escolar", garantiu a petista.   Já Kassab aproveitou o programa para exercer um direito de resposta concedido pela Justiça Eleitoral. Ele afirmou que foi alvo de inverdades proferidas pela campanha da petista. "A campanha da Marta faltou com a verdade. Ao contrário do que disse, o prefeito de São Paulo realizou e realiza um combate sem trégua contra os postos que vendem gasolina irregular ou adulterada", afirmou o locutor, ressaltando que Kassab já fechou mais de 200 estabelecimentos. Na semana passada, a petista afirmou que a ação governamental contra a venda de gasolina adulterada está sendo feita no âmbito federal, em parceria com a Agência Nacional do Petróleo (ANP), e não pelas prefeituras, que apenas colaboram com a força-tarefa.   O candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, manteve o mesmo tom no rádio, diferentemente do que vem fazendo na televisão. A propaganda tucana na TV pôs no ar uma inserção que menciona "pontos fracos" dos adversários Kassab e Marta. No programa radiofônico, porém, o candidato mantém o foco nas propostas. Ele prometeu a construção de novos hospitais em Parelheiros e Brasilândia. Também voltou a propor o projeto SIM (Saúde Integrada Municipal), que promete integrar todos os serviços da área e propôs a construção de dez Centros de Referência dos Idosos (CRI).   Paulo Maluf (PP) voltou a ressaltar as obras que realizou na cidade e disse que soube gerenciar o dinheiro público. Já Soninha Francine (PPS) defendeu a realização de mutirões de exames médicos para acabar com as filas e atrasos.   Ciro Moura (PTC) disse que, se eleito, pretende adotar o Plus - Plano Municipal de Saúde de Livre Escolha, que envolve o credenciamento de profissionais da prefeitura em instituições particulares. Já Renato Reichmann (PMN) defendeu a criação de empresas comunitárias.   Ivan Valente (PSOL) prometeu universalizar direitos, distribuir renda e fazer justiça social. Já Edmilson Costa (PCB) propôs que os alunos da rede pública fiquem na escola o dia inteiro. Levy Fidelix (PRTB) insistiu na construção do Aerotrem. E Anaí Caproni (PCO) falou sobre a estatização do setor de transportes.

Tudo o que sabemos sobre:
Horário eleitoralMarta Suplicy

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.