No rádio, Marta e Kassab trocam acusações sobre escolas de lata

Candidatos tentam se desvincular das precárias salas de aula, construídas durante a gestão de Celso Pitta

Bianca Pinto Lima, do estadao.com.br,

10 de setembro de 2008 | 13h26

A petista Marta Suplicy (PT) e o atual prefeito e candidato à reeleição, Gilberto Kassab (DEM), trocaram acusações envolvendo as escolas de lata durante o programa eleitoral gratuito do rádio desta quarta-feira. Ambos tentam se desvincular das precárias salas de aula, construídas em caráter emergencial durante a gestão de Celso Pitta. "Kassab acabou com aquela vergonha que eram os contêineres de crianças", afirmou o locutor, destacando que Marta nada fez para substituí-las por escolas de alvenaria. Em sua defesa, a petista reforçou que Kassab foi secretário de Planejamento de Pitta e que essa seria mais uma de suas "cascatas".   Veja também: Especial: Perfil dos candidatos Marqueteiro de Alckmin deixa campanha de tucano à Prefeitura Alckmistas pedem expulsão de aliados de Kassab Marta arrecadou R$ 4,63 mi; Alckmin, R$ 4,17 mi Blog: propostas dos candidatos de São Paulo na sabatina do 'Grupo Estado' Veja gráfico com a última pesquisa Ibope/Estado/TV Globo Vereador digital: Conheça os candidatos à Câmara de SP  Tire suas dúvidas sobre as eleições de outubro   O candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, aproveitou o horário eleitoral para falar sobre o transporte coletivo e manteve a mesma linha adotada desde o início da propaganda eleitoral, sem críticas aos adversários. O locutor destacou valores como a força, a coragem e a determinação do candidato, que prometeu ar condicionado nos ônibus e a criação de novas linhas do metrô.   O ex-governador Paulo Maluf (PP) ressaltou que realizou mais obras do que os seus principais adversários juntos, e com menos recursos. "Economizo no supérfluo e gasto no essencial", afirmou o candidato. Maluf alertou para o crescente trânsito da cidade e prometeu construir a freeway e mais dez importantes obras "para que os carros continuem a andar".   Soninha Francine, do PPS, propôs que a prefeitura financie a compra de moradias para a população de baixa renda e incentive o mercado a produzir para esse público. Ivan Valente, da coligação "Alternativa de Esquerda para São Paulo" (PSOL-PSTU), defendeu a universalização dos direitos, a distribuição de renda e a justiça social.   Edmilson Costa, do PCB, prometeu o fim do trabalho aos domingos. Renato Reichmann, do PMN, disse que irá licitar novas linhas de ônibus e melhorar os salários dos motoristas. Ciro Moura, da coligação "Tostão contra o Milhão" (PTC-PTdoB), criticou Marta Suplicy e se disse "espantado" com as promessas da ex-prefeita. Anaí Caproni, do PCO, e Levy Fidelix, do PRTB, não participaram do horário eleitoral do rádio.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2008

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.