No rádio, Maluf usa aniversário para pedir votos como presente

Marta Suplicy liga Kassab ao ex-prefeito Celso Pitta e Alckmin cita parceria com o também tucano José Serra

Bianca Pinto Lima, do estadao.com.br,

03 de setembro de 2008 | 09h40

O ex-governador Paulo Maluf (PP), candidato à Prefeitura de São Paulo, aproveitou o horário eleitoral do rádio para pedir votos como presente de aniversário de 77 anos - completados nesta quarta-feira, 3. Falando pela primeira vez em seu programa, Maluf afirmou que uma pessoa na sua idade busca deixar uma memória e obter reconhecimento, que será alcançado com o cargo de prefeito da capital paulista. O candidato se disse vítima de ataques de adversários - que o "apedrejam" - e prometeu a volta do Plano de Atendimento à Saúde (PAS).   Veja também: Você vai acompanhar o horário eleitoral para definir seu candidato ?  Veja a íntegra da última pesquisa  Multimídia: Perfil dos candidatos  Guia tira dúvidas do eleitor    Já Marta Suplicy (PT) manteve as críticas ao atual prefeito e candidato à reeleição Gilberto Kassab (DEM). "Ele vive inventando obra que nunca fez e nem fará. Diz que é tudo dele, até obra federal. Que cascata desse cara, é muita cara-de-pau", diz o locutor. A petista ainda aproveitou para ligar Kassab ao ex-prefeito Celso Pitta, afirmando que a administração deixou a cidade um "verdadeiro caos". À época, Kassab foi secretário de Planejamento de Pitta. Marta falou ainda sobre saúde e prometeu a construção de 31 policlínicas. Além disso, afirmou que irá manter e aperfeiçoar o Atendimento Médico Ambulatorial (AMA).   Kassab também não deixou por menos. O candidato afirmou que no Orçamento de 2009 do governo não está previsto "nenhum centavo" para as obras do Metrô propostas por Marta, que, segundo ela, seriam realizados com verba federal. Kassab também aproveitou para destacar o seu crescimento nas últimas pesquisas de intenção de voto e voltou a colar sua imagem na do governador José Serra (PSDB).   Geraldo Alckmin (PSDB) também aproveitou o horário eleitoral para citar a parceria com o companheiro de partido José Serra. O ex-governador usou depoimentos de jovens com dificuldades para encontrar o primeiro emprego. Como solução, propôs a criação de pólos de educação para o trabalho ligados às subprefeituras. Além disso, prometeu ampliar programas de inclusão digital e estimular o uso da internet banda larga.   O candidato Edmilson Costa, do PCB, afirmou que Lula, Serra, Alckmin, Kassab e Marta são todos muito semelhantes por terem a mesma política neoliberal e pediu votos de protesto aos eleitores. Já Levy Fidélix, do PRTB, insistiu na construção do Aerotrem.   Ivan Valente, da coligação "Alternativa de Esquerda para São Paulo" (PSOL-PSTU), defendeu que a população precisa de atendimento público de qualidade e que o dinheiro está indo para associações privadas que dirigem as AMAs. Já Renato Reichmann (PMN) defendeu a criação de linhas expressas nos corredores de ônibus, com o objetivo de reduzir o tempo de deslocamento.   Ciro Moura, candidato da coligação "Tostão contra o Milhão" (PTC-PTdoB), seguiu a mesma linha de Edmilson Costa e afirmou que os principais candidatos à Prefeitura falam sobre os mesmos problems e têm propostas iguais. A candidata do PCO, Anaí Caproni, não falou durante o horário da propaganda eleitoral gratuita.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2008

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.