No rádio, Aécio insinua que Dilma dará ministério a Dirceu

Campanha tucana usa ex-ministro, preso por envolvimento no mensalão, para provocar gestão econômica da adversária; petista e tucano rebatem 'mentiras'

Lilian Venturini e José Roberto Castro, O Estado de S. Paulo

17 de outubro de 2014 | 09h29

São Paulo - A campanha de Aécio Neves (PSDB) insinuou que a presidente Dilma Rousseff (PT) daria ao ex-ministro José Dirceu, preso por envolvimento no mensalão, o comando da pasta da Fazenda, caso seja reeleita. A provocação foi feita no final do horário eleitoral do rádio desta sexta-feira, 17, após o programa rebater ataques feitos pela adversária Dilma Rousseff (PT).

Os dois programas trocaram críticas sobre os ataques feitos um contra o outro durante a campanha do 2º turno. A campanha de Aécio disse que a petista deveria dedicar o tempo de sua propaganda para falar de propostas para economia em vez de "tratar da pessoa" de Aécio. "Por exemplo, a presidente Dilma mandou o ministro da Fazenda embora. Exatamente num período de inflação. Ela não diz quem vai entrar. Aliás, curiosamente estava lendo no jornal, que o ex-ministro José Dirceu já está até saindo da cadeia. Não sei se ela está esperando ele pra assumir", declarou um "comentarista político", identificado por César Reis.

Em setembro, Dilma afirmou que o atual ministro da Fazenda, Guido Mantega, comunicou a ela que não continuará no cargo, em um eventual segundo mandato da petista. Na ocasião, a presidente disse que não anteciparia possíveis substitutos. A declaração foi feita semanas depois de Aécio anunciar que, se for eleito, colocaria na Fazenda o ex-presidente do Banco Central Arminio Fraga.

Desde o início da campanha do 2º turno, as propagandas eleitorais têm dedicado mais espaço a ataques e contra-ataques. Nesta sexta, PT e PSDB reproduziram trechos do debate ocorrido nessa quinta, um dos mais tensos até agora. Tanto Aécio quanto Dilma, além das críticas às gestões de cada um, abordaram casos envolvendo familiares e temas pessoais. Nos programas do rádio, as campanhas não mencionaram os ataques pessoais, mas rebateram as "mentiras".

Ao som de uma música que dizia "Você mente demais", o PSDB tentou responder aos principais ataques petistas. "Se for listar cada mentira que eles contam, esse programa não acaba hoje", disse um locutor. Em seguida, rebateram que o PSDB "quebrou o País três vezes" e que "esqueceu dos pobres".

A propaganda petista repetiu trechos do programa da TV exibido na noite dessa quinta-feira, dedicado à classe média. A peça, no entanto, aposta na comparação entre os governos do PT e de Fernando Henrique Cardoso. Um jingle dizia "deu no jornal no tempo dos tucanos, se você não se lembra a gente vai te lembrando". Algumas das manchetes apresentadas foram: "salário mínimo já não compra mais a cesta básica" e "Brasil é o segundo do mundo em desemprego".

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõeshorário eleitoral

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.