No Ibope, Dilma abre 14 pontos de Marina, que perde folga em relação a Aécio

Candidata do PSB cai pela 5ª pesquisa consecutiva, enquanto petista varia dentro da margem de erro e tucano mantém-se estável; presidente é favorita no 2º turno contra qualquer um dos adversários

Daniel Bramatti e José Roberto de Toledo, O Estado de S. Paulo

30 Setembro 2014 | 20h08

Atualizada às 22h46

A presidente Dilma Rousseff (PT) ampliou de 9 para 14 pontos porcentuais sua vantagem em relação a Marina Silva (PSB) em uma semana, aponta a mais recente pesquisa Ibope/Estado/TV Globo, divulgada nesta terça-feira, 30. Aécio Neves (PSDB) se manteve estável, mas está mais próximo da adversária do PSB. No 2.º turno, Dilma aparece numericamente à frente da principal concorrente, mas ainda no limite de margem de erro (42% a 38%).

Apesar de o tucano não ter crescido nas duas últimas pesquisas, o cenário de 2.º turno permanece indefinido, por causa da contínua redução do eleitorado de Marina. Enquanto Dilma oscilou de 38% para 39% em uma semana, Marina caiu quatro pontos, de 29% para 25% - Aécio segue com 19%. Outros candidatos, somados, têm 3% das preferências.

A candidata do PSB apresentou tendência de queda nos últimos cinco levantamentos do Ibope. Desde o início de setembro, ela perdeu oito pontos, ou um quinto de seu eleitorado.

No mesmo período, Dilma oscilou dentro da margem de erro, entre 37% e 39%. Aécio subiu de 14% para 19% na metade de setembro e se manteve no mesmo patamar desde então.

Levando-se em conta os votos válidos - excluídos os nulos, brancos e eleitores indecisos -, o placar é de 45% para Dilma, 29% para Marina e 22% para Aécio. Nessa contagem, a distância da petista para a adversária do PSB subiu de 10 para 16 pontos em uma semana. Já a distância entre Marina e o tucano caiu de 11 para 7 pontos.

Nas simulações de 2.º turno, Dilma e Marina haviam obtido 41% na semana passada. O empate persiste, mas no limite da margem de erro. A petista tem 42% e a rival, 38%. Na simulação entre Dilma e Aécio, o placar é de 45% a 35% para a presidente.

Prejuízo geral. Desde a semana passada, Marina perdeu pontos em todas as regiões, com exceção do Nordeste. O tombo mais significativo ocorreu no Sul, de 25% para 16% - é a única região em que Aécio está em segundo lugar. 

Desde a entrada da candidata do PSB na corrida, é a primeira vez que ela fica atrás da presidente no eleitorado jovem. No segmento de 16 a 24 anos, Marina tem 28%, seis pontos a menos que Dilma. Nas demais faixas etárias, a presidente também lidera.

Na segmentação do eleitorado por renda, a presidente só não lidera na faixa mais alta, entre os que recebem mais de 5 salários mínimos. Nesse caso, Aécio e Marina aparecem empatados tecnicamente (30% e 28%, respectivamente), e Dilma vem a seguir (24%).

Os eleitores da petista são os mais decididos: 73% deles afirmam que sua opção é definitiva. No caso de Marina e Aécio, as taxas são de 64% e 66%.

A avaliação do governo Dilma não sofreu alterações: 38% consideram a administração boa ou ótima, e 28%, ruim ou péssima.

O Ibope ouviu 3.010 eleitores entre os dias 27 e 29 de setembro. A margem de erro estimada é de 2 pontos porcentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95% - isso quer dizer que, em cada 100 levantamentos com a mesma metodologia, 95 apresentarão resultados dentro da margem de erro esperada. O registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) foi feito sob o protocolo BR-00909/2014.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.