No centro da crise, Gabrielli agiu para defender sua gestão

BASTIDORES: Ricardo Galhardo

O Estado de S.Paulo

20 de abril de 2014 | 02h05

Homem de confiança do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, José Sergio Gabrielli está no centro da crise envolvendo a estatal após a presidente Dilma Rousseff afirmar que a compra da refinaria de Pasadena foi baseada em parecer falho.

Gabrielli sentiu-se responsabilizado e procurou Lula, que entrou em campo para harmonizar os discursos. O ex-presidente da Petrobrás não partiu para o confronto e ajudou a corroborar declarações de Dilma, mas faz questão de pontuar suas divergências em relação ao assunto. Gabrielli reclamou que sua gestão à frente da estatal não estava sendo defendida nem por Dilma, nem por Graça Foster, sua sucessora na presidência da Petrobrás.

Na quinta-feira, ele tinha em mãos cópia da apresentação feita por Graça no Senado, prova de que ambos agora estão dialogando.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.