No altar, Chalita discursa em prol das crianças

O pré-candidato do PMDB à Prefeitura de São Paulo, Gabriel Chalita, começou o segundo dia de campanha eleitoral em uma missa na zona sul. O deputado, que é ligado à ala carismática da Igreja Católica, disse que sua participação em eventos religiosos é natural, mas afirmou que não pretende usá-los politicamente. "Tudo o que faço (na campanha) é o que eu faço naturalmente. Não colocamos a missa como evento de campanha, mas vamos conversar com lideranças religiosas e dos bairros."

O Estado de S.Paulo

08 de julho de 2012 | 03h08

Na Paróquia Nossa Senhora dos Migrantes, no Grajaú, Chalita se sentou na primeira fila, comungou, cantarolou canções religiosas e subiu ao altar a convite do padre. Não pediu voto, mas fez um discurso em que destacou que "não há nada mais importante para a cidade do que cuidar de suas crianças".

O padre Lício José Neto, responsável pela paróquia, acompanhou Chalita enquanto o candidato pedia votos a moradores e comerciantes, mas disse que não pretende declarar apoio oficialmente a nenhum político.

"Os (candidatos) que vierem aqui serão recebidos. Minha política é de acolhida", afirmou o padre. Ao entrar em um botequim, ouviu reclamações de um eleitor da ex-prefeita Marta Suplicy (PT). "A Marta fez muito pela comunidade. Nós estamos com você porque você é jovem, parece a Marta! Não é igual àqueles políticos retrógrados."/ BRUNO BOGHOSSIAN

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.