Nenhuma urna biométrica foi substituída, diz TSE

Pelo menos até as 15 horas de hoje nenhuma urna biométrica havia sido substituída, de acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A informação foi repassada pelos chefes dos cartórios eleitorais de Fátima do Sul, no Mato Grosso do Sul, Colorado do Oeste, em Rondônia, e São João Batista, em Santa Catarina, municípios que usam pela primeira vez o sistema. A urna biométrica é uma das maiores novidades dessas eleições e identifica os eleitores por meio das impressões digitais e de foto digital.Ainda segundo o TSE, nas três cidades, as eleições acontecem com tranqüilidade, sem registros de ocorrência ou perturbação. Por causa da identificação por meio das impressões digitais, a média de votação por eleitor subiu para 60 segundos. Na urna eletrônica convencional o tempo gasto é de 40 segundos.Com a identificação biométrica, feita em março deste ano, as digitais dos eleitores foram cadastradas. No momento de votar, o eleitor apresenta seu título, ou documento com foto, e depois só precisa colocar o polegar no aparelho acoplado à urna para liberá-la.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.