Felipe Rau/AE
Felipe Rau/AE

Não vou comentar 'ataques' de Serra, diz Haddad

Para o candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, tucano 'distorce a informação' quando fala sobre o 'kit gay' e afirma que prefere discutir propostas para a cidade

Flavio Leonel, da Agência Estado

14 de outubro de 2012 | 15h34

SÃO PAULO - O candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, disse neste domingo, 14, que não vai mais "comentar os ataques pessoais" do candidato do PSDB, José Serra. Durante rápida entrevista à imprensa pouco antes de uma carreata no bairro Jaçanã, na zona norte da capital paulista, ele evitou responder às críticas de Serra sobre o "kit gay", material anti-homofobia que o Ministério da Educação estudou distribuir nas escolas quando o petista comandava a pasta.

Em entrevista ao Estado, o tucano afirmou que a intenção do material era "doutrinar, em vez de educar". "É um ataque pessoal. Porque ele sempre distorce a informação; e eu não vou comentar", disse Haddad. "Eu já estou cansado deste tipo de ataques", declarou, acrescentando que prefere discutir propostas para a cidade, em vez de "coisa sem importância e que já está resolvida".

Questionado se pretende distribuir, se eleito, algum tipo de kit similar, o candidato petista respondeu que já existe algo semelhante. "A Prefeitura tem o material. Tanto a Prefeitura quanto o Estado têm materiais, é constitucional", disse. Após falar com a imprensa e antes de iniciar a carreata pelo bairro da zona norte, Haddad fez um breve pronunciamento ao público presente. Entre as propostas apresentadas, prometeu mais uma vez acabar com a taxa de inspeção veicular e foi bastante aplaudido quando tocou no polêmico tema.

O candidato do PT também aproveitou o discurso para pedir à militância do partido para não ficar acomodada com os resultados recentes das pesquisas eleitorais para o segundo turno, que apontam Haddad na liderança. "Não confiem em números de pesquisa. Se estávamos lá atrás e fomos para o segundo turno, praticamente empatados em primeiro lugar, não vamos dizer que o Haddad está na frente e ficar em casa descansando. São mais duas semanas de trabalho para termos quatro anos de sossego", disse.

Com as ruas apertadas da região, a passagem de Haddad complicou o trânsito do bairro, já que muitas pessoas tentavam seguir o candidato, algumas delas atravessando as ruas no meio dos carros. O candidato do PT tirou fotos com crianças, idosos e demais simpatizantes do partido.

Depois do evento na zona norte da capital, Fernando Haddad tem agendados apenas compromissos internos neste domingo. De acordo com a assessoria de imprensa do candidato, entre estes compromissos há, por exemplo, a gravação de programas de TV para a campanha. No segundo turno das eleições municipais de 2012, o horário eleitoral gratuito começa nesta segunda-feira, 15.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições 2012SPHaddad

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.