Não há hipótese de voltar imposto sindical, diz Alckmin

Pré-candidato à Presidência pelo PSDB nega que tenha concordado com retorno da cobrança

Marcelo Osakabe, O Estado de S.Paulo

23 de julho de 2018 | 23h40

O pré-candidato à Presidência pelo PSDB nas eleições 2018, Geraldo Alckmin, negou nesta segunda-feira, 23, que tenha concordado com a volta do imposto sindical, que foi extinguido pela reforma trabalhista aprovada no governo do presidente Michel Temer. “Não há hipótese de voltar o imposto sindical. Imposto sindical, esquece”, disse o tucano, durante entrevista no programa Roda Viva, da TV Cultura. “Os trabalhadores é que vão se organizar. Se vai ter ou não contribuição, é uma questão dos trabalhadores.”

Após atrito com dirigentes do Solidariedade, partido que compõe o Centrão e defende a volta da contribuição, Alckmin se reuniu no fim de semana com o presidente do partido, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, e dirigentes sindicalistas, para discutir uma proposta sobre o tema.

A proposta em discussão permite que negociações trabalhistas aprovadas em assembleia gerem uma contribuição sindical a ser descontada de todos os trabalhadores beneficiados pelo acordo. Para o Solidariedade, as assembleias teriam de ter a presença de ao menos 20% dos trabalhadores da categoria. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.