'Não existe carlismo reciclado'

ACM Neto credita à má gestão estadual os problemas da capital.

O Estado de S.Paulo

17 de setembro de 2012 | 03h07

Ele é apoiado pelo prefeito, então quer jogar nas costas do governo do Estado. Não ter saúde, drenagem, ações sociais é culpa do governo? Ele acha que o governo está em um momento ruim por causa das greves e quer manipular a população.

Mas ele diz que o sr. é que é o aliado do prefeito, já que o PP é da sua coligação. O eleitor consegue entender essa confusão?

Toda Salvador sabe que ele é apoiado pelo prefeito. Ele foi decisivo para a derrota de Walter Pinheiro, do PT, em 2008. Eles passaram quatro anos no governo de João Henrique. Nós saímos um ano e meio antes do fim por divergências.

A greve de professores e da PM prejudica sua campanha?

A greve fez um estrago político para o governo e para minha candidatura. Mas veio o horário na TV, teve a presença do presidente Lula, que é muito querido em Salvador. O segundo turno será igual à luta de Popó e Michael Oliveira. O experiente e um menino novinho.

O discurso de que o DEM é contra cotas nas universidades vai se intensificar?

O partido dele foi contra as cotas e ele ficou omisso, podia se insurgir e não se insurgiu. Ele não tem história de luta na cidade. A única história que ele tem em Salvador é ser neto de ACM. Não existe carlismo reciclado. O carlismo é um só.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.