Rafael Arbex/Estadão
Rafael Arbex/Estadão

Não é hora de experiências, diz marqueteiro do PSDB

Foco é no discurso propositivo da primeira fase da campanha

ERICH DECAT, O Estado de S.Paulo

24 de setembro de 2014 | 02h02

BRASÍLIA - Com a difícil missão de levar o candidato presidencial do PSDB, Aécio Neves, à disputa do 2.º turno, o marqueteiro de campanha dos tucanos, Paulo Vasconcelos, aposta numa "reembalagem" dos discursos feitos por Aécio na primeira fase da disputa. "Não é um momento de experiência, mas de revisitar os discursos propositivos que te trouxeram até aqui", disse Vasconcelos ao Broadcast Político, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado.

Para o marqueteiro, a audiência dos programas eleitorais foi baixa, o que deve mudar nesta reta final, criando uma oportunidade para Aécio conquistar votos. Até 5 de outubro, dia do 1.º turno das eleições, Aécio terá mais quatro programas eleitorais em cadeia nacional de TV, veículo considerado uma das principais ferramentas de convencimento do eleitor. O foco deverá se concentrar na capacidade de gestão e atuação na área econômica do tucano. "Quem de fato teve acesso à comunicação, ao discurso dele, encontrou um candidato que está preparado, que demonstra competência para o enfrentamento que vem por aí. E a gente aposta nisso."

Viagens. Em relação à agenda, os eventos deverão se concentrar nos três maiores colégios eleitorais e com ampliação da presença de Aécio em Minas, sem abrir mão de outras regiões, como o Sul do País. Para o marqueteiro, quanto mais o candidato se deslocar, mais vai gerar mídia espontânea.

Seguindo essa linha, Aécio deve percorrer amanhã os três Estados do Sul. "A única coisa que fará diferença, fora a comunicação de massa, é a presença do candidato. São dois mundos que se somam. Hoje, como a propaganda é fraca, a mídia espontânea tem um papel forte, portanto, a movimentação do candidato faz diferença."

Tudo o que sabemos sobre:
EleiçõesAécio Neves

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.