Na véspera da eleição, candidatos de São Paulo fazem carreata

Kassab foi à Liberdade pela manhã e iria à Bienal, mas cancelou agenda; Marta visita bairros da zonas sul e leste

Agência Estado,

25 de outubro de 2008 | 12h01

Carreata é a única coisa que está na agenda dos candidatos à Prefeitura de São Paulo no último dia de campanha. Na sexta-feira, os dois candidatos trocaram acusações no último debate do segundo turno da eleição para a capital paulista, realizado pela TV Globo.   Veja também: Blog da Eleição: as principais declarações do debate  Gabriel Manzano, de O Estado de S. Paulo, comenta o debate  Galeria de fotos  Para analistas, 'salto alto e deslize' explicam rejeição de Marta Analista político comenta o resultado da pesquisa Ibope  Marta cai e Kassab amplia 17 pontos de vantagem sobre petista Especial: Perfil dos candidatos em São Paulo  'Eu prometo' traz as promessas dos candidatos  Geografia do voto: Desempenho dos partidos nas cidades brasileiras  Confira o resultado eleitoral nas capitais do País   Na véspera do segundo turno da eleição, o prefeito e candidato a reeleição, Gilberto Kassab (DEM),foi pela manhã com "kassabinhos" - bonecos que são réplicas do candidato - no bairro da Liberdade. À tarde, ele iria participar da abertura da 28ª Bienal de São Paulo, mas cancelou visita no fim da manhã   Assessores não souberam informar o motivo do cancelamento da agenda. Kassab não participará de nenhuma programação no restante do sábado, segundo seus assessores.    Já a candidata do PT, Marta Suplicy, aproveitou o último dia de campanha para fazer carreatas. Pela manhã ela incluiu atos nos bairros Santo Amaro, Campo Limpo, M'Boi Mirim, Capela do Socorro e Cidade Ademar, na zona sul. À tarde, Marta deve percorrer ruas de Ermelino Matarazzo, Arthur Alvim, Cohab I, Itaquera, Cohab 2 e Guaianases.   Entre as "farpas" trocadas no debate, Marta afirmou que Kassab ignora a periferia, questionou seu caráter e por diversas vezes reiterou a ligação de Kassab com o ex-prefeito Celso Pitta, enquanto o prefeito cobrou a petista sobre os escândalos do mensalão envolvendo seu partido e os problemas de sua gestão.   Atualizado às 12h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.