Na TV, PSB paulista exalta aliança com tucanos

O PSB de São Paulo levou ao ar nos últimos dias, em peças de propaganda partidária em rádio e TV, mensagens que destacam sua parceria com o governador Geraldo Alckmin (PSDB). O nome do tucano é citado nas inserções, que apresentam ações desenvolvidas pelo PSB na Secretaria de Turismo paulista.

O Estado de S.Paulo

05 de março de 2013 | 02h11

"Em São Paulo, o PSB foi convidado pelo governador Geraldo Alckmin para criar turismo de inclusão social", diz o locutor.

Deputados e dirigentes do partido também afirmam, nas peças, que São Paulo "é mais forte com o PSB" e que "o PSB ajuda São Paulo a crescer". Apesar de seu alinhamento com o PT no governo federal, o PSB apoia o governo Alckmin desde seu primeiro dia - quando o presidente estadual da sigla, Márcio França, foi nomeado secretário de Turismo.

Nas eleições municipais do ano passado, PSDB e PSB estiveram juntos em cidades paulistas como Campinas, mas foram adversários na capital, onde o PSB apoiou Fernando Haddad (PT).

Para reforçar laços com os partidos que ocupam secretarias na administração estadual e firmar compromissos para a reeleição de Alckmin, a cúpula do governo paulista pediu que essas siglas citem suas parcerias nas peças de propaganda partidária a que têm direito neste semestre.

A primeira legenda a adotar o discurso foi o PSB, mas o governo espera gestos iguais do DEM, do PTB, do PV e do PDT.

Brasil. O PSB também levou ao ar, em todo o País, peças publicitárias protagonizadas pelo presidente nacional do partido, o governador pernambucano Eduardo Campos. Ele destaca, nos filmetes, programas de sua gestão, como a educação inclusiva e a redução de tributos para baratear o transporte público.

Os vídeos e as inserções de rádio são encerrados com o slogan adotado pela sigla desde 2011: "PSB, o partido que mais cresce no Brasil". / BRUNO BOGHOSSIAN

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.