Na TV, Aécio responde a Dilma e diz cumprir piso dos professores

Na TV, Aécio responde a Dilma e diz cumprir piso dos professores

Campanha tucana rebate ataques da propaganda petista à gestão do adversário no governo mineiro; presidente repete programa em que destaca papel de bancos públicos e obras de infraestrutura

Lilian Venturini, O Estado de S. Paulo

14 de outubro de 2014 | 14h49

São Paulo - A campanha tucana rebateu, na tarde desta terça-feira, 14, trecho da propaganda petista que afirmava que o governo de Minas, governado durante dois mandatos por Aécio Neves (PSDB), descumpria o pagamento do piso salarial nacional dos professores da rede pública. "Acho que a Dilma deveria consultar seu próprio governo antes de sair acusando o Aécio", disse um apresentador no início do horário eleitoral transmitido nesta tarde.


Segundo a campanha, um documento creditado à Advocacia Geral da União (AGU) indica que "o salário inicial pago aos professores da rede estadual de Minas Gerais está em consonância com o piso salarial dos profissionais do magistério publico da educação básica".

A campanha da presidente Dilma Rousseff (PT) tem apostado na estratégia de desconstruir a gestão de Aécio em Minas. Além de repetir, no rádio e na TV, que o tucano perdeu para Dilma no Estado no primeiro turno das eleições, a propaganda do PT enumera números e informações negativas atribuídas ao governo do adversário. "Como sempre, o PT adora apostar na confusão", finalizou o apresentador no horário eleitoral tucano.

No restante do programa, Aécio repetiu trechos já exibidos no primeiro turno e uma inserção em que acusa o PT de querer "amedrontar" o eleitor "com fofocas e boatos".

A campanha de Dilma repetiu o programa exibido na noite dessa segunda-feira, 13, em que destaca o papel de bancos públicos e as obras de infraestrutura executadas em seu governo. Na peça também tem como alvo de críticas o ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga, já indicado como ministro da Fazenda em um eventual governo do PSDB. Já no horário eleitoral do rádio, a propaganda petista reagiu aos ataques tucanos à recomendação de um integrante do governo para o brasileiro comer mais ovo enquanto o preço da carne estiver em alta. "[Nos governos do PSDB], nosso povo só sabia o que era carne se mordesse a língua."

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõeshorário eleitoral

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.