Na política local, irmã era a aposta

A partir da nomeação como diretor da Agência Nacional de Águas (ANA), no fim de 2009, Paulo Vieira voltou a dar mais atenção à cidade natal. O primeiro passo foi uma empresa aberta no nome da mãe, Custódia Pereira Rocha, e do cunhado, Manuel do Nascimento Sobrinho - candidato a vereador derrotado na eleição de 2008.

CONDEÚBA , O Estado de S.Paulo

09 de dezembro de 2012 | 02h09

A P1 Serviços de Comunicação Ltda, com sede na casa simples dos pais de Paulo, entrou em uma licitação aberta pelo governo federal em 2010 para concorrer à outorga de uma emissora comercial de rádio em Condeúba. Em meio a uma batalha judicial, iniciada pela própria P1 contra uma concorrente, a licitação foi suspensa no ano passado.

No fim de 2011, foi a vez de o ex-diretor da Anac, Rubens Vieira, irmão de Paulo, tentar aumentar sua influência na cidade, oferecendo a irmã, a professora Norma Vieira - mulher de Nascimento - para ser vice na chapa de Antônio Farias Terêncio Filho (PSD), o Toinho Terêncio.

A ideia era que a chapa contasse com o apoio do prefeito Odílio Ribeiro da Silveira (PMDB). "O Rubens apresentou a ideia, dizendo que poderia ajudar financeiramente na campanha", conta Silveira. "A gente não aceitou, até pela falta de expressão política dela. E, no fim, foi bom, porque a esta altura estaríamos sendo investigados pela Polícia Federal também."

Sem conseguir emplacar a irmã na eleição municipal, Paulo e Rubens decidiram apoiar abertamente o candidato de oposição, José Augusto Ribeiro (PT), o Guto - que acabou eleito com 62,39% dos votos. O ex-diretor da ANA se empenhou na campanha e capitaneou ações de grande apelo popular na cidade. Ele e Rubens ainda doaram as verbas - cerca de R$ 100 mil - para a reforma da Igreja Matriz de Santo Antônio, a única do local.

Paulo tornou-se o organizador da Festa de Nossa Senhora de Aparecida deste ano e levou para a cidade o padre-cantor Fábio de Melo para um show gratuito, na praça central do município, em 29 de setembro. A apresentação do padre foi o segundo grande show no município, pouco acostumado com esse tipo de evento, em pouco mais de três meses.

No fim de julho, Amado Batista havia sido contratado pelo empresário Doriedson Ribeiro Pereira, conhecido como Dorinho, para um show, também gratuito, no distrito de Alegre, separado da sede do município por 42 quilômetros de estradas de terra mal conservadas. Dorinho e Paulo Vieira foram os principais articuladores da candidatura do petista Guto.

A mais conhecida empresária de Condeúba, Elita da Silva Pereira, de 57 anos, proprietária de uma fábrica de biscoitos, de um serviço de bufê e de uma pequena rede de restaurantes e lanchonetes, foi a candidata a vice do candidato do PSD. "A política é muito suja, quem está lá só está interessado em aumentar a própria renda, em conseguir benefícios. É muita ganância", reclama Elita, que já manteve relação profissional com os irmãos Paulo e Rubens Vieira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.