Reprodução/Carrapatos Estadão
Reprodução/Carrapatos Estadão

Na cola dos presidenciáveis, ‘Carrapatos’ superam 1,8 milhão de views

Projeto inovador do 'Estadão' mostra o cotidiano dos candidatos a presidente

O Estado de S.Paulo

27 de setembro de 2018 | 05h00

Projeto inovador da cobertura jornalística das eleições 2018, o núcleo de “Carrapatos” do Estadão já superou 1,8 milhão de visualizações nas redes com pouco mais de 100 vídeos e se consolida como uma das principais plataformas informativas sobre os bastidores das candidaturas ao Palácio do Planalto. Acompanhando de perto as agendas dos principais candidatos, cinco repórteres produzem vídeos exclusivos sobre o dia a dia das campanhas.

No ar desde 22 de agosto, o projeto gerou, em média até agora, três vídeos exclusivos por dia. Só no Instagram TV, ferramenta gratuita da rede social, foram mais de 370 mil visualizações. No Youtube, esse número já ultrapassa as 820 mil. Parte da produção também tem sido publicada no Facebook e no Twitter do Estadão. “Na cola” dos presidenciáveis, os repórteres já estiveram em 31 cidades de nove Estados.

A cobertura busca os detalhes do cotidiano dos candidatos. Em uma agenda do candidato Jair Bolsonaro (PSL), por exemplo, o repórter Augusto Decker flagrou o militar da reserva perguntando a uma criança vestida com uma farda, que estava em seu colo, se ela sabia atirar. “Você sabe atirar? Você sabe dar tiro? Atira. Policial tem que atirar”, disse o presidenciável, que tem discurso favorável à liberação das armas no País.

Em Roraima, repórter Gabriel Wainer, que acompanha o candidato Ciro Gomes (PDT), registrou de perto o momento em que o pedetista se irritou e xingou um repórter quando questionado sobre manifestações a respeito do conflito na Venezuela. "Vá para a casa do Romero Jucá, seu filho da p...", disse o candidato.

"É incrível a possibilidade de poder presenciar a história tão de perto e fazer parte dela", afirma o repórter Matheus Prado, que acompanha diariamente a agenda da candidata Marina Silva (Rede). "Ainda mais criando e desenvolvendo um formato inovador, que tem surpreendido e que o público tem gostado bastante."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.