Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Na Bahia, governistas e oposição falam em vitória no primeiro turno

Apesar de pesquisas apontarem para segundo turno, candidatos estão otimistas com virada no pleito deste domingo

Tiago Décimo, O Estado de S. Paulo

04 de outubro de 2014 | 19h24

SALVADOR - Aliados do governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), e de seu candidato à sucessão, Rui Costa (PT), e integrantes da oposição, capitaneada pelo prefeito de Salvador, Antônio Carlos Magalhães Neto (DEM) e pelo candidato do DEM ao governo, o ex-governador Paulo Souto, chegam à eleição falando em vitória no primeiro turno. Ambos os lados dizem se basear em "pesquisas internas" e "sentimento das ruas" para projetar o triunfo. 

Além disso, a falta de outros candidatos com peso eleitoral (a terceira colocada, Lídice da Mata, do PSB, não passou 10% das intenções de voto em nenhum momento da campanha) e o histórico recente - a última vez que houve segundo turno na eleição para governador na Bahia foi em 1994 - ajudam a projetar o discurso. 

Líder nas pesquisas desde o início da campanha, Souto vem assistindo à aproximação gradual de Costa nos levantamentos desde que a propaganda eleitoral na TV começou a ser transmitida. Entre a primeira e a última semana de exibição do programa, a diferença entre ele e o petista caiu de 34% para 16%, segundo o Ibope. Para o candidato do DEM, porém, o cenário está consolidado. "Em cada evento que participei durante a campanha, senti o desejo de mudança no povo da Bahia e é esse sentimento que me faz ter a confiança na vitória no primeiro turno", diz Souto. 

Do lado governista, o discurso é parecido. Costa e Wagner evitam falar diretamente em vencer no domingo, mas o atual governador admite "ver semelhança" entre a campanha de Costa e a sua própria em 2006 - quando venceu o então governador Souto no primeiro turno, mesmo quando as pesquisas eleitorais indicavam vitória do democrata, também em primeiro turno, até o dia anterior ao pleito. "Rui começou (a campanha) com um índice de desconhecimento por parte do eleitorado muito grande, de mais de 50%, por isso estamos confiantes", justifica Wagner. 

Seus aliados, porém, explicitam o prognóstico. "Quem conhece os municípios da Bahia e tem andado pelo Estado sabe que o Rui vai vencer no primeiro turno", discursou o candidato ao senado na coligação governista, Otto Alencar (PSD), em Camaçari, na quinta-feira, 2. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.