MP dá parecer favorável para impugnar candidatura de Kassab

Para promotor, entrega de 'cheque' do Metrô foi 'palanque de campanha eleitoral'; TRE tem que julgar ação

Carolina Freitas, da Agência Estado,

22 de outubro de 2008 | 19h59

O promotor eleitoral Eduardo Rheingantz, do Ministério Público de São Paulo, deu parecer favorável nesta quarta-feira, 22, à representação que pede a impugnação da candidatura de reeleição de Gilberto Kassab (DEM) à Prefeitura de São Paulo. O pedido de cassação foi feito pela candidata do PT, Marta Suplicy, segundo o qual o prefeito teria usado a máquina pública em uma cerimônia para repasse de verbas para o Metrô. O promotor entendeu o evento como um "inegável evento de campanha".  Na cerimônia, ocorrida na quarta-feira passada, Kassab entregou ao governador José Serra um grande cheque simbólico, de R$ 198 milhões. Em uma cerimônia considerada oficial pelo prefeito e governador, os dois trocaram elogios e enalteceram a parceria entre o governo municipal e estadual. O promotor também questionou na sentença: "Qual o sentido de se simular o repasse com um cheque gigantesco, senão transformar o que deveria ser um ato administrativo em evento político?" Ainda no parecer, Rheingantz destaca: "Montaram um espetáculo no canteiro de uma obra pública, transformando-a em palanque da campanha eleitoral do prefeito-candidato." Na ocasião, Kassab e Serra negaram intenções eleitorais no ato. A representação contra Kassab, que foi protocolada no dia 17 deste mês pela coligação de Marta Suplicy, terá ainda de ser julgada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Para a eventual impugnação da candidatura do prefeito, que disputa a reeleição, a decisão terá de ser proferida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Este parecer de Eduardo Rheingantz pode servir de base para que os juízes do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo avaliem a representação da petista no julgamento da ação.  Outro lado A assessoria do candidato Gilberto Kassab foi contatada pela Agência Estado e informou que ainda não tem um posicionamento oficial sobre o assunto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.