Beto Barata/ Estadão
Beto Barata/ Estadão

Mourão recebe no Clube Militar desembargador que manteve Lula preso

Vice de Bolsonaro afirma que Thompson Flores, presidente do TRF-4, é seu 'amigo pessoal'

Constança Rezende, O Estado de S.Paulo

20 de agosto de 2018 | 21h24

RIO – O candidato a vice-presidente na chapa de Jair Bolsonaro (PSL), general da reserva Antonio Hamilton Mourão, recebeu o presidente Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), Carlos Eduardo Thompson Flores, nesta segunda-feira, no Clube Militar do Rio. Foi o magistrado que decidiu manter preso o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), evitando o cumprimento de habeas corpus concedido pelo desembargador Rogério Favreto, em 8 de julho. O desembargador foi ao clube local dar palestra no ciclo “O Poder Judiciário na Conjuntura Política Nacional”.

Embora tenha sido divulgado na agenda do general, que é presidente do clube, que a reunião seria “a respeito de pauta eleitoral”, Mourão se corrigiu dizendo que a instituição não poderia ser usada para esse fim. Para justificar a escolha da palestra do desembargador, o general afirmou que foi feita “por questões de competência e amizade” e que Flores é seu “amigo pessoal”.

+ ‘Existe certo radicalismo nas ideias, até meio boçal’, diz Mourão sobre Bolsonaro

“Fui comandante militar do Sul e já o conhecia de outros tempos. Então, quando a gente quer trazer alguém, se eu não conheço a pessoa, eu busco alguém que seja mais próximo da gente”, disse. “O desembargador é meu amigo pessoal. É um homem que tem uma competência extremada dentro do direito e, no momento em que a gente discute tanta coisa no País e que a Justiça tem tido certa primazia, acho importante que o clube trouxesse alguém que explicasse determinava coisas”, afirmou.

O desembargador ressaltou que era descendente de famílias militares. Pelo menos 60 militares assistiram à palestra de Flores, que comentou sobre o caso do Watergate (investigação que levou à renúncia do ex-presidente dos Estados Unidos Richard Nixon), mas sem comparar com casos específicos da política brasileira.

+ Sem Lula, Bolsonaro lidera corrida presidencial com 20%, diz Ibope

Quando Thompson Flores reverteu a ordem de soltura de Lula expedida pelo desembargador Rogério Favreto, Mourão assinou nota em nome do Clube Militar, elogiando-o. 

“Os atos do dr. Sérgio Moro e do desembargador Thompson Flores, fazendo valer, com firmeza e determinação, o primado da lei nos fizeram mais brasileiros do que nunca. Homens dessa grandeza fazem uma nação. Corneteiro! Toque sentido e apresentar armas! A eles nossa continência!”, escreveu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.