Julio Cesar Lima
Julio Cesar Lima

Moro vota e evita falar de chapa para presidente

"Nem tudo se resume a governo federal e presidente da República”, afirmou o ex-ministro da Justiça, ao se recusar a comentar sobre articulações para formação de uma aliança de centro para 2022

Julio Cesar Lima / Especial para o Estadão, Curitiba

15 de novembro de 2020 | 13h39

CURITIBA – O ex-ministro da Justiça Sérgio Moro enfrentou, durante cerca de 10 minutos, uma fila para poder votar no fim da manhã deste domingo, 15, no Clube Duque de Caxias, no bairro Bacacheri, em Curitiba. Várias pessoas fizeram selfies com o ex-juiz e algumas o chamaram de “presidente”.

Ele, porém,  não quis falar sobre as discussões acerca de uma eventual candidatura de centro à Presidência da República, que envolvem conversas do apresentador Luciano Huck com ele, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), e outros políticos. Questionado se aceitaria ser vice ou cabeça de chapa, se limitou a falar “não é uma questão para hoje”.

Questionado sobre a influência do bolsonarismo nas eleições, Moro, que participou do governo de Jair Bolsonaro, evitou criticar o ex-chefe. “Não tenho uma avaliação sobre isso, não é o momento de fazer esse tipo de avaliação, mas de escolher bons candidatos na urna. A eleição aqui não é nacional, é local, estamos pensando em interesses locais. Nem tudo se resume a governo federal e presidente da República”, afirmou.

Mais cedo, pelo Twitter, Moro recomendou o voto "consciente".  E sugeriu a escolha de "candidatos íntegros e sem discurso de ódio". 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.