Ministros tiram férias para reforçar campanha de Dilma

Gilberto Carvalho, Miguel Rossetto, Ricardo Berzoini e Paulo Bernardo vão trabalhar na reeleição da presidente

Tânia Monteiro e Rafael Moraes Moura, O Estado de S. Paulo

04 de setembro de 2014 | 19h32


Atualizada às 21h04

O ministro-chefe da Secretaria-Geral, Gilberto Carvalho, estará, a partir desta segunda-feira, 8, à disposição da campanha à reeleição da presidente Dilma Rousseff. A informação da saída temporária de Carvalho foi antecipada nesta quarta-feira, 3, pelo Estado e confirmada nesta quinta, 4, pela sua assessoria. O ministro vem ajudado a presidente no diálogo com movimentos sociais e com a Igreja e, inicialmente, resistia em deixar o governo. Mas, com o acirramento da campanha e a queda da presidente Dilma nas pesquisas, preferiu sair para ficar mais liberado.

Os ministros do Desenvolvimento Social, Miguel Rossetto, e da Secretaria de Relações Institucionais (SRI), Ricardo Berzoini, também vão para a campanha. Rossetto definirá a saída na semana que vem, segundo sua assessoria, mas assessores da campanha informam que ele reforçará sim a campanha, assim como Berzoini.

Berzoini já participa de reuniões de campanha com a presidente Dilma. Na noite de quarta-feira, Berzoini e Rosseto participaram de reuniões no comitê de campanha do PT e têm ajudado na discussão dos projetos da campanha petista .

Já o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, está em férias a partir desta quinta-feira, 4, até 12 de setembro, conforme publicado no Diário Oficial. Com a licença, o ministro fica liberado para atuar nas campanhas da sua mulher Gleisi Hoffmann, ao governo do Paraná, e da presidente Dilma.

Tudo o que sabemos sobre:
EleiçõesDilma Rousseff

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.