Divulgação
Divulgação

Ministros do TSE acompanham contagem de votos; Bahia pode ser decisiva

Estado é um dos mais atrasados na apuração dos votos presidenciais e será fundamental para confirmar o segundo turno

Rafael Moraes Moura e Amanda Pupo, O Estado de S.Paulo

07 Outubro 2018 | 20h19

BRASÍLIA - O clima é de apreensão e expectativa dentro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que ainda não confirma oficialmente se haverá ou não segundo turno nas eleições presidenciais. Um auxiliar ouvido reservadamente pela reportagem apontou que a Bahia é um dos Estados mais atrasados na apuração dos votos presidenciais e pode ser decisiva para confirmar se haverá segundo turno.

Os ministros Rosa Weber (presidente do TSE), Luís Roberto Barroso (vice-presidente), Admar Gonzaga, Tarcisio Vieira e o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, estão reunidos neste instante no Centro de Divulgação das Eleições para acompanhar a apuração. O comandante da Aeronáutica, Nivaldo Luiz Rossato, também está no edifício-sede do tribunal.



Às 19h43, o TSE informava que apenas 50,85% dos votos já haviam sido apurados na Bahia. O candidato do PTFernando Haddad, lidera no Estado com 58,73% dos votos, seguido de Jair Bolsonaro (PSL), com 24,19% e Ciro Gomes (PDT), com 10,11%.

Maior colégio eleitoral do País, São Paulo já tem 88,16% dos votos contabilizados. Segundo maior colégio eleitoral do País, Minas Gerais já teve 85,35% dos votos contabilizados.

Nos três Estados do Sul, por exemplo, já foram apurados 98,79% no Paraná; 93,70% em Santa Catarina; e 96,53% no Rio Grande do Sul. Nesses três Estados Bolsonaro lidera com folga. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.