Minas Gerais é alvo de preconceito no Twitter após derrota de Aécio

Depois de ataque a nordestinos nas redes, mineiros são culpados pelo desempenho do tucano, que foi superado por Dilma no Estado

O Estado de S. Paulo

27 de outubro de 2014 | 18h24

No dia seguinte à apertada disputa entre Dilma Rousseff e Aécio Neves pela presidência do País, os eleitores ainda mantêm um discurso de ataques aos Estados que deram a vitória à candidata do PT. O alvo, agora, passou a ser também os eleitores de Minas Gerais, onde o ex-governador acabou derrotado.

No total, o Estado registra 15,2 milhões de eleitores e ocupa a segunda posição entre os maiores colégios eleitorais do Brasil. No primeiro turno das eleições, Dilma já havia superado Aécio - a diferença agora foi de 550 mil votos (52,41% dos votos válidos, contra 47,59%).

O fato causou indignação de alguns eleitores pró-Aécio. Alguns, inclusive, pediram para que o EStado fosse separado do País, juntamente com o Norte e Nordeste, alvo de fortes críticas desde o resultado final das eleições. "Incluam nessa separação também o Rio de janeiro e Minas gerais vamos construir este muro, nordeste 11 estados", disse @NildoPombal às 22h11 deste domingo.

Já @KamilaRafaela2 disse que o "povo de Minas é burro". Mesma opinião teve @marcelomarostic, que também mostrou-se a favor da construção do muro. "Vergonha de minas, e sobe o muro do Brasil", afirmou nesta segunda-feira de manhã.

Alguns eleitores de Dilma saíram em defesa dos mineiros. Segundo @LannesBowl, Minas apenas avaliou o mandato de Aécio. "Ridículo esse preconceito contra o Nordeste. Minas e Rio também elegeram Dilma presidenta, e Minas respondeu se Aécio foi um bom governador", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.