Militantes 'de carteirinha' estão em redutos petistas

O mapa da distribuição dos filiados ao PSDB em São Paulo revela uma situação paradoxal: a concentração de tucanos "de carteirinha" é maior em tradicionais redutos petistas do que nos bairros de elite e de classe média alta onde o partido colhe seus melhores resultados eleitorais.

DANIEL BRAMATTI, O Estado de S.Paulo

23 de janeiro de 2012 | 03h07

Dos 21 mil filiados que escolherão o candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo nas eleições prévias marcadas para o início de março, quase metade vive na zona leste, região com a menor renda per capita da cidade.

Em termos proporcionais, a zona leste também se destaca: as áreas com maior taxa de filiados ao PSDB por 100 mil eleitores formam uma faixa contínua que vai da Penha até a fronteira com o município de Ferraz de Vasconcelos (veja mapa). Das dez zonas eleitorais com maior concentração de filiados, nove ficam na região leste da cidade.

Eleitor X filiado. Via de regra, há correlação direta entre renda e voto no PSDB - quanto maior o poder aquisitivo do bairro, maior o apoio a candidatos tucanos. Mas a lógica é outra quando se trata da distribuição geográfica dos filiados do PSDB: há baixa concentração deles nas áreas nobres da cidade.

O paradoxo pode ser demonstrado pela situação de dois bairros que, de parecido, têm apenas o nome: Itaim Bibi e Itaim Paulista. O primeiro, na região oeste, com renda per capita mensal de quase R$ 4.500, fica na zona eleitoral que, em 2010, deu a maior votação aos candidatos do PSDB ao governo do Estado e à Presidência - mais de 70%, em média, ainda no primeiro turno.

O segundo, no extremo da região leste, tem renda média de pouco mais de R$ 500 por morador - e lá os tucanos tiveram apenas 25% dos votos, o 50.º melhor resultado no ranking de 58 zonas eleitorais.

Pela lógica, haveria mais filiados ao PSDB no rico Itaim Bibi que no pobre Itaim Paulista. Mas a taxa de tucanos por 100 mil eleitores é de 240 no primeiro e de 429 no segundo.

A zona eleitoral que lidera o ranking de concentração de filiados é a 398.ª (Vila Jacuí), na zona leste, com 794 tucanos por 100 mil eleitores.

Segundo Rosalvo Salgueiro Silva, integrante da Executiva Municipal do PSDB e morador da área, o partido tem capilaridade na região graças à questão habitacional. "Aqui o movimento popular pela habitação do PSDB é muito forte, rivaliza com o grupo do PT e ganha", afirmou Silva.

Efeito Mario Covas. Outros líderes do partido também explicaram a presença do partido na zona leste citando os mutirões habitacionais promovidos na região na gestão de Mario Covas, o primeiro tucano a governar o Estado de São Paulo (1995-2001).

O número de filiados em uma determinada região também pode estar relacionado ao trabalho de arregimentadores de votos - cabos eleitorais a serviço de determinado político.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.