Mesmo no hospital, costuras políticas são intensas

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi submetido ontem à sexta sessão de radioterapia e à quimioterapia complementar ao tratamento contra o câncer de laringe. Como de costume, enquanto é atendido no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, Lula aproveita para receber visitas e conversar sobre política. Ontem foi a vez do ex-ministro da Secretaria de Comunicação Social Luiz Gushiken, da ministra da Cultura, Ana de Hollanda, e do embaixador de Angola no Brasil, Nelson Cosme.

O Estado de S.Paulo

12 de janeiro de 2012 | 03h04

Lula tem feito das idas diárias ao hospital uma oportunidade para encontrar amigos e falar de política. A expectativa é de que o ex-presidente enfrente o ciclo de radioterapia, cuja duração total deve ser de seis a sete semanas, tão bem quanto reagiu aos três ciclos de quimioterapia, no final do ano passado. / DAIENE CARDOSO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.