'Mensalinho' é ignorado e clima morno marca debate na Bahia

Candidatos apresentaram planos para saúde, educação, infraestrutura e a valorização do funcionalismo público

Tiago Décimo, O Estado de S. Paulo

27 de setembro de 2014 | 01h05

SALVADOR - O primeiro debate com a presença dos seis candidatos ao governo da Bahia, realizado na noite desta sexta-feira, 26, pela TV Itapoan, afiliada da Rede Record, foi marcado pela apresentação de promessas e pelo clima morno.

Apesar de ter sido o tema central da propaganda eleitoral na TV nos últimos dias, o suposto esquema de desvios de recursos públicos, que seriam destinados à construção de habitações populares, para o financiamento de campanhas do PT no Estado, que vem sendo chamado de "mensalinho baiano", não foi citado pelos debatedores. Eles se concentraram, na maior parte do tempo, em apresentar seus planos para áreas como saúde, educação, infraestrutura e para a valorização do funcionalismo público.

Na única oportunidade que tiveram para perguntar um ao outro, os dois candidatos mais bem colocados nas pesquisas eleitorais, o ex-governador Paulo Souto (DEM) e o governista Rui Costa (PT), limitaram-se a debater sobre obras de infraestrutura e mobilidade urbana e capacidade de gestão financeira do Estado.

Coube aos candidatos de partidos menores, Rogério da Luz (PRTB), Marcos Mendes (Psol) e Renata Mallet (PSTU) - esta última participando de seu primeiro debate - lembrarem de acusações de corrupção nos governos de PT e DEM no Estado. "Um ficar acusando o outro (na propaganda eleitoral) é como o sujo falando do mal lavado", ironizou Mendes.

Tudo o que sabemos sobre:
EleiçõesBahia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.