Mensalão leva 13 réus a penas em regime fechado

Somadas, condenações impostas pelo Supremo Tribunal Federal atingem 282 anos de prisão e o pagamento de multa de, pelo menos, R$ 22,7 milhões

O Estado de S.Paulo

02 de dezembro de 2012 | 02h05

Após 49 sessões e mais de 300 horas de julgamento, o Supremo Tribunal Federal concluiu na semana passada o cálculo das penas dos 25 condenados no processo do mensalão. Somadas, as penas aos réus chegam a 282 anos de prisão, além de multas num total de R$ 22,7 milhões, valores que ainda poderão ser corrigidos pela inflação.

Para o tribunal, ficou comprovada a existência do esquema de compra de apoio político no Congresso a fim de favorecer o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Dos condenados, 13 começam a cumprir a pena em regime fechado, 10 no semiaberto e em apenas dois casos as sanções aplicadas foram convertidas em penas alternativas. O empresário Marcos Valério, responsável por operar o sistema de captação e distribuição de verbas para o pagamento de parlamentares, pegou a pena mais alta - 40 anos, 2 meses e 10 dias de prisão. Ele terá de cumprir regime fechado por pelo menos 6 anos e 8 meses. José Dirceu, apontado pela denúncia do Ministério Público Federal como "chefe da quadrilha", teve pena total de 10 anos e 10 meses e terá de cumprir pelo menos 1 ano e 10 meses na cadeia.

Agora, a Corte deve discutir as questões pendentes do julgamento, como a perda dos mandatos para os três deputados federais condenados - João Paulo Cunha, Valdemar Costa Neto (PR-SP) e Pedro Henry (PP-MT).

Tudo o que sabemos sobre:
Mensalao

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.