Adriano Machado/Reuters
Adriano Machado/Reuters

Meirelles se reúne com deputados do MDB em busca de apoio interno

Encontro faz parte do movimento do presidenciável em busca de apoio interno para ser escolhido como o candidato oficial do partido

Igor Gadelha, O Estado de S.Paulo

05 Junho 2018 | 12h25

BRASÍLIA - Pré-candidato à Presidência da República pelo MDB, o ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles se reunirá nesta quarta-feira, 6, com deputados federais do partido. O encontro faz parte do movimento do presidenciável em busca de apoio interno para ser escolhido como o candidato oficial do partido ao Palácio do Planalto durante a convenção partidária, prevista para o final de julho. 

+ BR18: Meirelles vê candidatura ‘pacificada’

Filiado ao MDB desde o início de abril, Meirelles foi lançado oficialmente como presidenciável em 22 de abril pelo presidente Michel Temer, que desistiu de tentar se reeleger. Na ocasião, o presidente cobrou união do partido em torno da candidatura de seu ex-ministro, que enfrenta resistências internas, como a do presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE). O emedebista cearense já sinalizou apoio ao ex-ministro Ciro Gomes (PDT). 

O ex-ministro também deve encontrar resistências na Câmara. Primeiro vice-presidente da Casa, o deputado Fábio Ramalho (MDB-MG) articula nos bastidores o lançamento da candidatura ao Planalto do ex-ministro Nelson Jobim, que teria de disputar prévias com Meirelles. Também contrário a Meirelles, o senador Renan Calheiros (MDB-CE), por sua vez, quer lançar o senador Roberto Requião (MDB-PR). 

+ 'Ou os partidos de centro se unem ou é a derrota', diz Marun

Apesar da resistência de Eunício, Renan e Requião, Meirelles recebeu sinalização positiva da maioria dos senadores do MDB. Em 16 de maio, a líder do partido no Senado, Simone Tebet (MS), que é simpática à candidatura do ex-ministro, promoveu encontro dele com os parlamentares. Dos 18 senadores da sigla, 13 participaram da reunião. Após o encontro, Meirelles disse ter sentido "entusiasmo" dos senadores em relação a sua candidatura. 

Além do encontro com parlamentares, o ex-ministro da Fazenda prepara uma agenda de viagens pelo País a partir de sexta-feira, 8, para conversar com emedebistas nos Estados. "Já tenho conversas e indicação de apoio da maioria dos diretórios, porque a maioria dos diretórios hoje se sente com condições de tomar uma decisão. Mas agora não está no momento de contar voto, está no momento de conversar", afirmou ao Estadão/Broacast. "Tenho convicção que teremos uma maioria folgada".

+ Centro e esquerda atuam por candidaturas únicas

Meirelles disse que sua candidatura não "representa especificamente" o governo Michel Temer e, sim, seu currículo pessoal e sua atuação na iniciativa privada e no setor público.  "Estou tirando o rótulo. Por exemplo, não sou o candidato do mercado, não sou o candidato do governo, não sou o candidato de Brasília. A minha proposta é a proposta do meu histórico", afirmou Meirelles. "Não estou tentando tirar um rótulo. Estou tentando tirar qualquer rótulo que não seja a minha proposta, meu histórico.", reforçou em seguida.  / Com Adriana Fernandes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.