Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Meirelles projeta PIB de 3% em 2019 caso vença as eleições

Em evento no Rio, pré-candidato do MDB minimizou o fim do diretório estadual do partido em Minas Gerais e disse que vitória em convenção partidária 'está garantida'

Denise Luna, O Estado de S.Paulo

17 Julho 2018 | 14h04

RIO - O pré-candidato à Presidência da República pelo MDB, Henrique Meirelles, negou que o desempenho da economia neste ano possa prejudicar a sua candidatura nas eleições 2018, e projeta que o PIB vai crescer caso ele seja eleito. "A economia não cresce porque existe incerteza com alguns candidatos, mas vamos ganhar e o Brasil vai decolar, e vamos ter crescimento acima de 3% em 2019" disse.  

Meirelles vê ‘voo solo’ do MDB na disputa ao Planalto

Quero ver se ele já sai da turma do 1%, diz Marun sobre Meirelles

Meirelles também minimizou o fim da executiva estadual do partido em Minas Gerais. Para ele, a vitória na convenção do MDB já está garantida. "O importante é que teremos o apoio dos parlamentares de Minas que mantêm o voto na convenção nacional. A margem que nós temos na convenção é muito ampla, e não será uma diferença de poucos votos que vai ser decisivo", disse a jornalistas um pouco antes de fazer uma palestra para empresários associados ao Lide no Copacabana Palace, tradicional hotel da zona sul do Rio.

Segundo ele, a vitória já está garantida na convenção do MDB "com mais de 450 votos", independentemente da questão de Minas Gerais. Na segunda-feira, 16, o presidente do MDB, Romero Jucá, dissolveu a Executiva Estadual do partido em Minas, abrindo espaço para uma aliança com o PT no Estado.

Rejeição de eleitor encarece campanha nas redes sociais nas eleições 2018

"Já temos mais de 450 votos assegurados na convenção independentemente da questão de Minas Gerais, que assim mesmo terá 17 votos na convenção", explicou. Ele negou que haja divergência em relação à sua candidatura dentro do partido, afirmando que haver alguma diversidade é até positivo, já que o MDB é um partido amplo e nacional e "a divergência qualifica o debate".

Renan inicia campanha contra Meirelles e prega o 'não voto' na convenção

Ele destacou o crescimento das intenções de votos no seu nome, e avaliou que a melhora perante a opinião pública está vindo antes do esperado. Para ele, será apenas uma questão de tempo para que os eleitores conheçam a sua história profissional e garantam a vitória nas urnas.

"Eu não tenho nenhum tipo de acusação de processo, minha carreira é transparente. Retiramos o País da maior recessão da história", disse o ex-ministro da Fazenda dos governos Lula e Temer. Ele informou que já está conversando com outros partidos para formar alianças, mas não revelou quem seriam os primeiros a serem anunciados. 

Encontro

A reunião do diretório do MDB no Rio de Janeiro com  Henrique Meirelles serviu para confirmar o apoio do Estado à candidatura, informou o pré-candidato ao Estadão/Broadcast, ressaltando que o apoio "está cada vez mais firme".

Em compromissos de campanha na cidade, o ex-ministro da Fazenda se reuniu pela manhã com o MDB fluminense, o primeiro a apoiar à sua candidatura, segundo o próprio Meirelles. "O MDB do Rio foi o primeiro a fazer uma reunião grande, o primeiro a dar apoio, hoje estive com a representação de todos os diretórios municipais", informou.

Segundo Meirelles, a reunião desta terça-feira, 17, com o MDB do Rio teve caráter mais executivo, de programar os próximos passos da campanha no estado. "Hoje foi uma discussão mais de programação de ação, convenção, sugestões, muita integração", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.