Meirelles diz que há 'vasta maioria' de apoio a seu nome no MDB

Meirelles diz que há 'vasta maioria' de apoio a seu nome no MDB

O pré-candidato deve ser confirmado na convenção nacional do partido, em 4 de agosto, para disputar o Planalto

Eduardo Rodrigues, O Estado de S.Paulo

18 de julho de 2018 | 13h25

O pré-candidato à Presidência da República pelo MDB, Henrique Meirelles, disse nesta quarta-feira, 18, ter segurança de que será de fato o escolhido do seu partido para disputar as eleições 2018. Segundo ele, já haveria uma “vasta maioria” dentro do partido pela sua indicação.

A declaração ocorre dias depois de mais ataques do senador Renan Calheiros à sua candidatura. O parlamentar disse na terça-feira que subir em seu palanque seria uma "condenação".

Ele minimizou a falta de qualquer anúncio de parceria em sua chapa até o momento. Meirelles alegou que tem tido “diálogos intensos” com partidos de Centro e afirmou ter a possibilidade de chegar a alianças importantes para a disputa eleitoral.

“Não existe um grande número de alianças já concretizadas (em outras chapas). Existem muitas intenções, apenas. Tenho conversado com um grande número de partidos nos últimos dias, mas eu gosto de anunciar resultados”, respondeu, em coletiva após palestra no Fórum de Mobilidade da ANPTrilhos.

O ex-ministro da Fazenda reafirmou que irá defender os resultados do governo Michel Temer - segundo ele, inquestionáveis - na campanha eleitoral. “Conhecendo a minha história, a maioria dos eleitores irá declarar a sua intenção de voto”, projetou.

Após defender a independência e autonomia - inclusive financeiras - das agências reguladoras, Meirelles disse não se preocupar com interesses de seu partido em assumir cargos dessas agências em um eventual novo governo do MDB.

“É normal que todos os partidos disputem as posições disponíveis”, respondeu. “Mas as agências reguladoras precisam seguir o exemplo da Caixa Econômica Federal. Cargos tem que ser ocupados por pessoas com experiência profissional e qualificação adequada. Eu já fiz isso quando fui ministro da Fazenda, no estatuto da Caixa” completou.

Os presidenciáveis Ciro Gomes (PDT), Geraldo Alckmin (PSDB) e Levy Fidélix (PRTB) também participarão do evento nesta quarta-feira.

Meirelles diz que receita terá mais rigor na fiscalização se for eleito

Henrique Meirelles disse que a Receita Federal terá ainda mais rigor e avanço na fiscalização em seu eventual governo.

Matéria do Estadão/Broadcast mostrou que o Fisco irá fiscalizar as declarações de dinheiro vivo feitas pelos candidatos nas eleições de 2018. “A Receita Federal está o tempo todo aperfeiçoando seus procedimentos e isso não pode parar”, afirmou.

Meirelles lembrou que o atual secretário da Receita, Jorge Rachid, foi escolhido por ele para o cargo. Ele também destacou os convênios internacionais firmados pelo órgão no tempo em que foi ministro da Fazenda, entre 2016 e 2018.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.