Medida contra jornal é de 2009

O desembargador Dácio Vieira, pai da servidora Marcella, entrou para a história da imprensa, no País, como o responsável pela imposição da censura judicial ao Estado, em 31 de julho de 2009 - medida que completa hoje 1.051 dias.

O Estado de S.Paulo

16 de junho de 2012 | 03h01

Ele atendeu, na época, ao pedido do empresário Fernando Sarney (filho de José Sarney, presidente do Senado), que queria impedir o jornal de divulgar informações da investigação da Polícia Federal que envolve o seu nome. O empresário, segundo a Operação Boi Barrica, estaria se valendo do prestígio do pai para indicar nomes para vagas em ministérios e estatais.

Bastante ligado ao senador José Sarney, o desembargador sentia-se à vontade para frequentar, ao lado dele, as mesmas festas e reuniões. A certa altura do processo - o Estado recorreu na Justiça para derrubar a censura - ele acabou afastado do caso.

A censura ao Estado, que ignorava garantias constitucionais de direito à informação, foi recebida, no Brasil e no exterior, com fortes críticas ao Judiciário brasileiro. Fernando Sarney anunciou a desistência da queixa, mas o jornal recusou o acordo. Preferiu esperar da Justiça uma decisão - que ainda não veio - quanto ao mérito do caso, para que se reafirme a liberdade de imprensa no País.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.