Marta promete empenho por Haddad

Junto com o ex-presidente Lula, senadora estreou em palanque ao lado do petista

ROLDÃO ARRUDA , FELIPE FRAZÃO, O Estado de S.Paulo

15 de abril de 2012 | 03h08

Considerado o principal cabo eleitoral do petista Fernando Haddad, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva estreou ontem em um evento ao lado do pré-candidato e atraiu para o palanque a senadora Marta Suplicy. Pela primeira vez, a ex-prefeita prometeu em público que irá se empenhar na campanha do PT à Prefeitura de São Paulo.

O ex-presidente, que concluiu um tratamento contra um câncer na laringe, a senadora e o pré-candidato participaram da inauguração de um Centro Educacional Unificado (CEU) em São Bernardo do Campo a convite do prefeito, Luiz Marinho (PT). O CEU Regina Rocco Casa foi batizado em homenagem à mãe da ex-primeira-dama Marisa Letícia.

Lula fechou os discursos oficiais da cerimonia - que ganhou contornos de campanha eleitoral - com uma fala de cinco minutos. "Se eu tivesse juízo, não ia falar aqui porque não estou com a garganta totalmente boa. Espero que em 15 ou 20 dias eu esteja apto para ajudar a eleger no Brasil inteiro pessoas como Marinho e o Fernando Haddad.", disse o ex-presidente, ainda com a voz debilitada.

Modelo. O centro inaugurado ontem segue um modelo considerado marca da gestão (2001-2004) de Marta na Prefeitura de São Paulo.

Em tom inflamado, a senadora, se dirigindo a Haddad, disse que o modo de governar do PT tem de retornar ao Executivo municipal. E não perdeu a oportunidade de atacar a gestão do atual prefeito, Gilberto Kassab (PSD), aliado do pré-candidato do PSDB, José Serra.

"Você agora tem uma grande responsabilidade. E eu e Lula vamos estar com você, porque o programa petista precisava voltar. Não vamos mais aceitar a mediocridade", afirmou. "O que tem hoje em São Paulo e antes não tinha é o abandono. Antes não tinha recurso, mas graças ao Lula e à economia (do País), agora teeeeeemmm!", bradou ao fim do pronunciamento, numa alusão à propaganda da Prefeitura, cujo bordão é "antes não tinha, agora tem".

Além de marcar a estreia de Lula na campanha petista na capital, o evento tinha como objetivo serenar os ânimos entre a senadora e a cúpula do partido. O PT acredita que a presença dela na campanha é essencial para fortalecer a candidatura do partido na capital.

Após ser pressionada a desistir de disputar a Prefeitura, Marta submergiu e chegou a criticar a dificuldade do PT de firmar alianças, afirmando que o ex-ministro precisava "gastar sola de sapato" se quiser vencer disputa eleitoral.

O ex ministro da Educação cortejou senadora. No seu discurso, a cumprimentou antes de todos os presentes e destacou que Marta foi a idealizadora dos CEUs.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.