Marta fica com a vice-presidência do Senado

Preocupada com a campanha de Fernando Haddad à Prefeitura de São Paulo, a bancada do PT revisou o acordo celebrado há um ano para manter a senadora Marta Suplicy (SP) no cargo de vice-presidente do Senado. Os petistas temem pela ausência de Marta na campanha. As articulações para manter a senadora no posto envolveram a cúpula petista e o ex-presidente Lula.

ANDREA JUBÉ VIANNA / BRASÍLIA , O Estado de S.Paulo

02 de fevereiro de 2012 | 03h02

O acordo revogado estabelecia um rodízio pelo qual o senador José Pimentel (PT-CE) assumiria a cadeira de Marta neste ano, empurrando-a para um lugar de coadjuvante no Senado. Mas depois de renunciar à candidatura em favor de Haddad, e descartada para assumir um ministério, a direção do PT foi obrigada a rever o pacto para não correr o risco de que, "no sereno", a senadora recusasse o papel de cabo eleitoral do ex-ministro.

"Eu vou participar da campanha, mas é uma cobrança que não é correta agora", declarou Marta, lembrando que a corrida eleitoral ainda não começou oficialmente. Ela negou que tenha negociado a sua participação na campanha de Haddad em troca da vice-presidência do Senado. "Nunca pensei em negociar (o cargo), sempre fui um soldado do partido", defendeu-se.

"Não há condição nem imposição nem dúvida nenhuma" de que Marta estará na campanha de Haddad, afirmou o presidente do PT, Rui Falcão.

Um integrante da bancada admitiu ao Estado que Lula temia o "tensionamento" dos ânimos no Senado e o afastamento de Marta da campanha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.