Marta faz avaliação positiva de pesquisa Ibope

Petista viu uma redução do favoritismo de Kassab e atribuiu essa movimentação ao debate do último domingo

Carolina Ruhman, da Agência Estado

15 de outubro de 2008 | 13h19

A candidata do PT à Prefeitura de São Paulo, Marta Suplicy,  fez uma avaliação positiva da pesquisa Ibope divulgada  nesta quarta-feira, 15, que mostra que ela está 12 pontos porcentuais atrás do atual prefeito e candidato à reeleição, Gilberto Kassab (DEM). A última pesquisa que se tinha em mãos, do DataFolha, apontava uma diferença maior entre os dois, de 17 pontos.  Veja também:'Deus me livre! Eu não sabia disso', diz Marta sobre folhetoJuiz proíbe Marta de perguntar se Kassab é casadoLula reprova comportamento de Marta em ataques a KassabEnquete: estado civil do candidato interfere no voto? Blog: Leia os principais momentos do debate na Bandeirantes  Especial: Perfil dos candidatos em São Paulo 'Eu prometo' traz as promessas de Marta e Kassab Geografia do voto: Desempenho dos partidos nas cidades brasileiras Confira o resultado eleitoral nas capitais do País  Apesar de os institutos de pesquisa terem metodologia diferentes, Marta viu uma redução do favoritismo de Kassab e atribuiu essa movimentação ao debate do último domingo (12), realizado pela TV Bandeirantes. Para ela, a diferença entre os dois "vai diminuir ainda mais", e prometeu: "Tenho muita tranqüilidade de que chegaremos à vitória". Segundo ela, no debate, o eleitor tem a oportunidade "de ver verdadeiramente o candidato, como ele se porta, como ele é, como ele responde, e ao mesmo tempo, ver as incongruências". Marta voltou a desconstruir seu oponente em duas figuras: "O prefeito Kassab que tem a caneta", e "o prefeito da propaganda". Segundo ela, o debate evidenciou "que a outra candidatura fala uma coisa e faz outra". Marta conta ainda com os debates da Record e da Globo antes do segundo turno, e avaliou: "Nós temos tempo de tirara essa diferença". Choro Pela segunda vez na campanha, Marta Suplicy foi às lágrimas hoje em um evento no bairro de Jova Rural, na zona Norte da Capital. Do lado de um carro de som, ela falou com as pessoas e depois recebeu uma homenagem. Johnatan Oliveira da Silva, de 12 anos, cantou um rap para a prefeita, cuja letra trazia versos como: "Sua renda mínima vai aumentar" e "Não dá pra esconder o que Marta vai fazer, não dá". O refrão insistia: "Marta Suplicy, 13, 13". Marta dançou e depois se emocionou. "Vale a pena agüentar o que eu tenho que agüentar em campanha", disse, às lágrimas. Johnatan vive com a mãe desempregada e cinco irmãos em uma casa de quatro cômodos. O pai, não chegou a conhecer, e perdeu um irmão vítima de uma bala perdida aos 19 anos. Ele está na quarta série de um EMEI e ganha R$ 20 mensais distribuindo folhetos de um açougue. Ele conta que teve a idéia de montar um grupo de rap com os irmãos "para ajudar a mãe". "Hoje, a gente canta em barzinhos, faz showzinhos", disse. A esperança é um dia chegar a cantar no programa do Gugu. Segundo ele, a idéia de escrever uma música para Marta surgiu nessa semana. "Eu falei: "Ah, qualquer dia eu posso ver a Marta." A oportunidade foi hoje, quando a candidata visitou os moradores do bairro de Jova Rural. Antes, Marta visitou o comercio de Jardim Fontalis e se encontrou com moradores do Jardim Cabuçu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.