Marta e Kassab tentam amenizar críticas, mas mantêm ataques

No horário eleitoral no rádio, candidatos de SP apresentam propostas, mas não deixam de criticar o adversário

Giuliana Vallone, do estadao.com.br,

13 de outubro de 2008 | 08h15

Os candidatos à Prefeitura de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM) e Marta Suplicy (PT), tentaram amenizar os ataques que fazem um ao outro em seus programas eleitorais durante a propaganda gratuita no rádio nesta segunda-feira, 13. Logo no início de seu tempo, Kassab afirmou que queria continuar o trabalho que vem fazendo na cidade a apresentar suas propostas "sem falar mal de ninguém, sem entrar em conflito". Ao longo do programa, porém, não faltaram críticas à gestão da ex-prefeita.   Veja também: Blog: Leia os principais momentos do debate na Bandeirantes  'Eu prometo' traz as promessas de Marta e Kassab  Geografia do voto: Desempenho dos partidos nas cidades brasileiras  Confira o resultado eleitoral nas capitais do País As principais promessas dos candidatos   O candidato do DEM usou seu espaço nesta segunda para dar prioridade às propostas para a saúde, citando os dois hospitais que entregou durante a atual gestão - Cidade Tiradentes e M'Boi Mirim - e prometendo fazer mais três, em Parelheiros, Brasilândia e Arthur Alvim. "Para mim, hospital é prioridade", disse.   Na hora de citar a quantidade de recursos empregados na área, Kassab aproveitou para criticar Marta. "Eu coloquei 20% do Orçamento da cidade na saúde, R$ 3 bilhões por ano, o dobro da Marta. Se a gente quer cuidar das pessoas, tem que começar com saúde de qualidade", afirmou. Ele citou a contratação de 3.400 médicos em sua gestão, além da construção de 115 AMAs (Assistência Médica Ambulatorial).   Um dos narradores do programa manteve o tom de crítica: "Eu vi no jornal a dona Marta falando mal do hospital de Cidade Tiradentes. Aí fui ver as notícias do tempo dela como prefeita. Sabe por que o Cidade Tiradentes não tinha problema? Porque não existia." O apresentador aproveitou para citar os números de uma pesquisa que mostra a aprovação do atendimento médico na gestão do atual prefeito.   Além disso, o programa tratou de uma nova proposta de Kassab: a criação de 50 AMAs Sorriso, que seriam direcionadas ao atendimento odontológico da população.   'Nem tudo é ruim'   Já Marta fez o contrário, e fez as críticas antes de explicar que não quer dizer que "tudo o que o Kassab faz é ruim". Ao longo do programa, a candidata petista continuou a criticar Kassab por copiar suas propostas e projetos. "Kassab está se agarrando nas propostas da Marta", afirmou um dos apresentadores.   A ex-prefeita ressaltou que "um bom prefeito tem que ter projetos para todas as regiões e todos os cidadãos", e citou a nova classe média - "que surgiu graças ao sucesso da política econômica do presidente Lula" - como um dos estratos da população esquecidos pela gestão de Kassab. "Eles não receberam ainda o devido apoio da Prefeitura para continuar a crescer. Nós vamos dar esse apoio", disse. "Nós temos vários projetos que incluem qualificação profissional de jovens e adultos, incentivos às pequenas e micro empresas e a isenção do ISS para os autônomos."   Ela voltou a afirmar que aprendeu com os erros e acertos do passado e ressaltou que "vai eliminar e reduzir impostos", justificando que não há razão para se criar ou manter taxas "com o Brasil bombando desse jeito". Os impostos, aliás, foram outro assunto em que Marta aproveitou para criticar o atual prefeito. Segundo ela, Kassab criou em 2006 uma lei cobrando 2% de ISS de várias categorias, como taxistas, costureiros e vigilantes. Agora, ele está dizendo que vai acabar com a lei, que ele mesmo criou", afirmou.   Marta manteve a estratégia de colar sua imagem à de Lula durante boa parte do programa. "Marta sempre esteve ao lado de Lula, ajudando a eleger nosso querido presidente", disse um dos apresentadores do programa, citando as lutas da petista no passado, em ocasiões como o Golpe Militar e as Diretas Já. "Agora, pede para o Kassab contar o passado dele. Quem tem orgulho, mostra. Quem tem vergonha, esconde."   No quadro "Pare e Compare", os apresentadores fizeram comparações entre os feitos de Kassab e Marta em Saúde, Transporte e Educação, e terminaram afirmando que Kassab "perdeu de nocaute".   Ao final do programa, porém, Marta tentou amenizar as críticas: "Eu quero terminar dizendo que quando a gente faz uma comparação com o Kassab, não é para dizer que tudo que ele está fazendo é ruim. Tem algumas iniciativas boas, essas a gente vai continuar e melhorar, como as AMAs, por exemplo. Por outro lado, você sabe, quase tudo que ele divulga foi começado por mim, e, pior, está tudo sendo feito às pressas, sem qualidade, para impressionar durante a campanha. Eu acho isso muito errado. Meu compromisso é trabalhar desde o começo para melhorar de verdade", encerrou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.