Marta desafia Kassab a explicar obra de CEU no debate

No último dia de programa eleitoral gratuito na televisão, a candidata à Prefeitura de São Paulo pelo PT, Marta Suplicy, desafiou seu adversário, o prefeito e candidato à reeleição, Gilberto Kassab (DEM), a responder a diversas acusações que fez durante sua campanha no debate que acontece na noite de hoje, na TV Globo. Uma das perguntas é de que forma o prefeito conseguirá concluir a obra do Centro Educacional Unificado (CEU) de Vila Formosa, na zona leste, que ainda não foi iniciada, até fevereiro, mês em que Kassab se comprometeu a entregar a escola.Já a campanha do candidato da coligação "São Paulo no Rumo Certo" (DEM-PR-PMDB-PRP-PV-PSC) no horário eleitoral gratuito de hoje perguntava ao eleitor como seria São Paulo sem suas obras. "São Paulo conquistou muita coisa que não dá mais pra abrir mão", disse o apresentador, classificando feitos de Kassab, como a Lei Cidade Limpa e o Mãe Paulistana, no mesmo patamar de elementos tradicionais da Cidade, como o sotaque italiano na Mooca e o tumulto na Rua 25 de Março, no centro da cidade. "Então, vai parar tudo agora?"Kassab exibiu obras que estão sendo feitas atualmente na capital paulista, como o CEU profissionalizante de Heliópolis, na zona leste. No entanto, ele nem citou a construção do CEU de Vila Formosa, alvo de ataques de sua adversária nesta semana. O apresentador do programa do democrata apenas deu um recado: "O Kassab constrói e a Marta critica, justo ela, que deixou a cidade falida", referindo-se à gestão da ex-prefeita.ParceirosA dois dias do segundo turno das eleições, Marta - coligação "Uma Nova Atitude para São Paulo" (PT-PCdoB-PDT-PTN-PRB-PSB) - e Kassab aproveitaram a reta final do programa eleitoral gratuito para trazer parceiros apoiando sua candidatura. A petista trouxe o depoimento do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB). Enquanto Kassab contou com a presença do governador de São Paulo, José Serra (PSDB), reforçando parcerias com o prefeito na área da saúde, educação e transporte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.