Marta chora ao dizer que sofreu ao perder eleição para Serra

Ex-prefeita diz que resolveu se candidatar depois viu 'o trânsito do jeito que estava': 'Era muita incompetência'

Andréia Sadi, do estadao.com.br, Anne Warth e Eli,

01 de setembro de 2008 | 13h15

A candidata do PT à Prefeitura de São Paulo, Marta Suplicy, emocionou-se nesta segunda-feira, 1º, durante sabatina no Grupo Estado, ao falar da derrota que sofreu em 2004, quando tentou a reeleição e perdeu as eleições para José Serra (PSDB), atual governador de São Paulo. A petista chorou ao dizer que esse episódio foi muito difícil e pensou que a Prefeitura fosse uma página virada em sua vida, quando o partido solicitou, este ano, que ela deixasse o posto de ministra do Turismo e se candidatasse novamente. O vídeo da sabatina pode ser visto na TV Estadão (clique aqui).   Veja também: Especial: Perfil de Marta Suplicy Após Lula, Marta mostra 'experiência' de boa relação com Serra Marta assume compromisso de não criar taxas, mas desonerar Marta descarta pedágio urbano e rodízio maior em São Paulo Marta diz que não infringiu a Lei de Responsabilidade Fiscal Marta diz que, se eleita, vai manter AMAs de Serra/Kassab Galeria de fotos da sabatina com Marta Suplicy  Blog: confira as principais declarações de Marta na sabatina Veja gráfico com a última pesquisa Ibope/Estado/TV Globo Vereador digital: Conheça os candidatos à Câmara de SP  As regras para as eleições municipais  Tire suas dúvidas sobre as eleições de outubro   Questionada sobre a razão que a fez disputar novamente o cargo, ela disse: "Um dia, quando vim a São Paulo, vi o trânsito do jeito que estava, levei uma hora e meia do Aeroporto de Congonhas até a minha casa e pensei que era muita incompetência (da atual administração) e que não dava mais, alguma coisa precisava ser feita." E disse que neste momento pensou em ser novamente prefeita e fazer algo pela cidade. Porém, disse que a decisão de se candidatar novamente não foi fácil, exemplificando com o fato de que, desde que foi derrotada por Serra, pensou em escrever um livro contando sua vida na Prefeitura e o que São Paulo havia lhe ensinado, mas sempre chorava e não conseguia levar o projeto (do livro) em frente.   A candidata ressaltou ainda que se vencer as eleições, sua gestão terá o apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Lula trabalha melhor comigo porque construímos um partido juntos, com as mesmas propostas, não porque sou amiguinha dele. Eu trabalhei para a toda a cidade, mas para os que mais precisam, assim como o presidente Lula, que governa para todo o País, mas para os que mais precisam", declarou. "Não vejo nem em Kassab nem em Alckmin as mesmas preocupações que o presidente tem. Provavelmente eles têm as mesmas preocupações que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso tinha", ironizou.   Outras sabatinas   As sabatinas do Grupo Estado têm transmissão ao vivo pela TV Estadão. O Portal Estadão divulgará flashes noticiosos e disponibilizará a íntegra dos vídeos, para consulta posterior. O segundo convidado será o ex-governador e candidato do PSDB Geraldo Alckmin. Pela ordem, virão em seguida o prefeito Gilberto Kassab (DEM) na quarta-feira, Paulo Maluf (PP) na quinta, Soninha Francine (PPS) na sexta e Ivan Valente (PSOL), que fechará o ciclo na segunda-feira, dia 8.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.