Marta centra críticas em Kassab na reta final do 1º turno

Candidata do PT diz que prefeito não foi eleito e chegou ao cargo como vice do governador José Serra

CAROLINA RUHMAN, Agencia Estado

30 de setembro de 2008 | 18h37

Em uma nova rodada de ataques ao adversário e atual prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM),  Marta Suplicy (PT) afirmou que a população da cidade não pode votar no DEM, partido que, segundo ela, foi o responsável pelo retrocesso do Nordeste brasileiro. A cinco dias das eleições, Marta se apropriou de uma das críticas feitas pelo tucano Geraldo Alckmin, da coligação "São Paulo, na Melhor Direção" (PSDB-PTB-PHS-PSL-PSDC), ao prefeito, dizendo também que Kassab não foi eleito e chegou ao cargo como vice do governador José Serra (PSDB).     Veja também: Blog: Leia os principais pontos do debate na Rede Record  Galeria de fotos dos candidatos no debate  Ibope: Confira os números da pesquisa  Análise: Marqueteiro aponta polarização na reta final da disputa em São Paulo  Enquete: Quem ganha com a briga dos dois?  Perfil dos candidatos de SP  Contra Marta, PSDB decide fechar apoio a Gilberto Kassab no segundo turno "Não pode ter um partido como o PFL, que agora se chama ''DEMO'', que atrasou por décadas o nordeste brasileiro. E só passou a melhorar quando o presidente Lula, do PT, chegou ao poder", alfinetou a candidata da coligação "Uma Nova Atitude para São Paulo" (PT-PCdoB-PDT-PTN-PRB-PSB), evocando mais uma vez o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "São Paulo é a maior cidade do País, como é que vai ter a bandeira do retrocesso do PFL que foi responsável por décadas e décadas de retrocesso no Nordeste?"Segundo Marta, "a nova leva de governadores do nordeste expulsou o PFL" da região. "Agora, a maior cidade brasileira está com um prefeito do PFL, que não foi eleito", disse. Durante minicomício no Grêmio da Escola de Samba União da Vila de São Miguel Paulista, na zona leste, Marta disse que a capital paulista não pode eleger um representante do DEM, enquanto o Brasil está "levando esse partido à extinção".Confrontada depois por repórteres sobre sua relação com Serra e sobre o fato dele ter levado Kassab - "São Paulo no Rumo Certo" (DEM-PR-PMDB-PRP-PV-PSC) - à Prefeitura, Marta limitou-se a dizer: "São parcerias políticas, né?" "Ele mesmo dizia, assinou compromisso que não iria sair (da Prefeitura)". Serra deixou a Prefeitura para assumir o governo do Estado em 2007.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõesSPSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.