Marta busca classe média e Kassab cola em Serra

A dez dias do segundo turno, a candidata do PT à Prefeitura de São Paulo, Marta Suplicy, corre contra o tempo para reconquistar a classe média, quebrar resistências nas igrejas católica e evangélica, desmontar preconceitos e superar o desgaste provocado pelo comercial que pôs no ar uma interrogação sobre a vida pessoal do prefeito Gilberto Kassab (DEM). Na outra ponta, Kassab faz de tudo para congelar a vantagem de 12 pontos porcentuais, revelada na última pesquisa Ibope, e colar sua imagem à do governador José Serra (PSDB).Marta aposta em mais um ato com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no sábado, para diminuir a distância que a separa de Kassab. O encontro com representantes de movimentos sociais e sindicalistas, na Casa de Portugal, será o último evento da campanha da petista com a participação de Lula.Kassab exibiu ontem, pela segunda vez nesta etapa, o apoio de Serra, principal nome da oposição para a sucessão de Lula, em 2010. Não é só: um novo ato conjunto está programado para amanhã. Enquanto o presidente vai encurtar o período de permanência em São Paulo, tucanos e democratas querem juntar Serra e Kassab pelo menos três vezes até a eleição, no dia 26.Até lá, o duelo entre Marta e Kassab promete capítulos emocionantes. A candidata do PT e o prefeito vão se enfrentar em dois debates: um na TV Record, marcado para domingo, e outro na TV Globo, no dia 24. Além disso, os dois serão sabatinados pelo grupo Abril na semana que vem. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.