Marta ataca Kassab em campanha no rádio

A candidata à Prefeitura de São Paulo Marta Suplicy (PT) subiu o tom dos ataques ao atual prefeito, Gilberto Kassab (DEM), durante o horário eleitoral gratuito do rádio de hoje. A campanha da petista afirmou que Kassab ficou constrangido e se mostrou angustiado no debate do último domingo, na Rede Bandeirantes. Além disso, voltou a chamar a atenção para a biografia do adversário. "Kassab é do PFL, partido de antigos coronéis, que foi derrotado em todo País", afirmou o locutor. Assim como na televisão, a ex-ministra do Turismo contou com o apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O prefeito, ao contrário, aproveitou para destacar sua liderança nas pesquisas de intenção de votos. Segundo o Datafolha, ele possui 54% contra 37% de Marta. O presidente apoiou Marta e ressaltou as diferenças na trajetória dos dois candidatos. "Você acha por exemplo que a história da Marta é igual a do Kassab? Quem lutou pela democracia e liberdade? Quem passou a vida defendendo os mais fracos? Quais dos dois esteve na linha de frente sem se esconder atrás de ninguém? A Marta tirou São Paulo da maior crise da história e, sem dinheiro, fez um governo que até hoje ninguém conseguiu suplantar. Sua história e seus projetos fazem a diferença", afirmou. Na linha dos ataques, a petista acusou o prefeito de "fantasiar" sobre a situação da saúde na cidade de São Paulo e a eficiência dos programas voltados para a área. "Existe um lugar no reino da fantasia que se chama kassabolândia", diz o jingle. Segundo Marta, a situação é precária nos hospitais, que não possuem remédios e têm longas filas de espera. "Ele (Kassab) tem duas caras: uma de prefeito e uma de candidato. Os cursos profissionalizantes nos CEUs ele vetou e agora está propondo de novo. A licença-maternidade ele também vetou e agora está defendendo", atacou a campanha da petista.Kassab seguiu outra estratégia e manteve o foco nas propostas. O atual prefeito prometeu dar prioridade à saúde e à educação, caso seja reeleito. Entre suas promessas, está o fim do terceiro turno (das 11h às 15h) nas escolas e a construção de três hospitais em Parelheiros, Brasilândia e Arthur Alvim. O candidato do DEM também afirmou que vai acabar com a falta de vagas nas creches. Ao falar sobre a construção do Museu do Futebol na cidade, Kassab afirmou que sempre gostou do esporte. "Fui um jogador razoável, até que resolvi fazer duas faculdades e parei de jogar", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.