Marta acusa Kassab de 'manipulação' na vistoria de CEU

Candidata petista diz que adversário do DEM fez uma 'exposição virtual' sobre obra que 'não existia'

Carolina Ruhman, da Agência Estado

22 de outubro de 2008 | 13h39

O debate sobre a entrega do Centro Educacional Unificado (CEU) Vila Formosa continuou a dominar a campanha da candidata do PT à Prefeitura de São Paulo  Marta Suplicy . A candidata insistiu na acusação de "manipulação " de seu adversário do DEM o atual prefeito Gilberto Kassab , que fez na terça-feira uma "vistoria eletrônica" do CEU.   Veja também: 'Sou solteiro e feliz', diz Kassab; Marta lamenta inserção na TV Reviravolta é difícil em SP, diz cientista política  Enquete: Quem se saiu melhor no debate?  Blog: Leia os principais momentos do debate na Rede Record  Veja galeria do debate na Rede Record  Especial: Perfil dos candidatos em São Paulo  'Eu prometo' traz as promessas de Marta e Kassab  Geografia do voto: Desempenho dos partidos nas cidades brasileiras  Confira o resultado eleitoral nas capitais do País   "Em vez de ir ontem (21) lá mostrar o estágio que estava, ele fez uma exposição virtual em um escritório fechado e mostrou o que não existia", criticou a petista, e atacou: "As pessoas estão votando em uma pessoa que fez uma manipulação". Marta, que encontrou-se com moradores dos bairros de Sapopemba e do Carmo, na zona Leste da Capital, tentou explicar o fato de ela ter sido impedida de entrar na obra na tarde de ontem (21). "Provavelmente porque já levou uma betoneira e está tentando fazer alguma concretagem de fundação", disse a petista, frisando que já havia visitado o local cerca de dez dias antes e que a obra estava paralisada.   A petista disse acreditar que nessa questão, o que está em jogo não é o número de CEUs, "é a manipulação que foi tentada ontem". Marta criticou também a postura de seu adversário em insistir que a obra será entregue até fevereiro. "Ele podia ter dito: 'não vai ser entregue já, vai ser entregue em meados do ano que vem'. Eu acho que a população até compreenderia, mas foi uma manipulação desde o começo".   A agenda da petista previa apenas uma atividade de campanha nesta manhã, que seria seguida por gravação do programa para o horário eleitoral na televisão. Entretanto, no meio do evento, a imprensa foi informada de que mais dois encontros com moradores estavam previstos no Sapopemba. Mesmo assim, o último evento, agendado de última hora, foi cancelado para Marta poder gravar seu programa. Foi a terceira vez em uma semana que ela cancela eventos de campanha para gravar propaganda para televisão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.