Marqueteiros da campanha de 2002 duelam agora em SP

Duda Mendonça, que trabalhou com Lula, fará campanha de Skaf; Nelson Biondi, que trabalhou com Serra, tentará reeleger Alckmin

Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

30 Março 2014 | 02h03

A campanha pelo governo paulista vai reeditar o duelo de marqueteiros que polarizou a disputa presidencial de 2002. Pré-candidato ao governo paulista pelo PMDB, o empresário Paulo Skaf, presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), acertou na semana passada a contratação do publicitário Duda Mendonça para sua corrida ao Palácio dos Bandeirantes.

Responsável por parte dos comerciais da entidade estrelados por Skaf em 2013, Duda mudará para São Paulo em maio e se dedicará exclusivamente ao candidato. Antes de bater o martelo, o peemedebista chegou a negociar com o ex-marqueteiro de Aécio Neves (PSDB) Renato Pereira, da agência Prole. Duda, que comandou a campanha vitoriosa de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em 2002 terá como "adversário" um velho conhecido: o publicitário Nelson Biondi, com quem trabalhou nos anos 90.

Responsável pelo marketing da campanha presidencial de José Serra (PSDB) naquele ano, Biondi foi o escolhido para comandar a campanha do governador Geraldo Alckmin (PSDB) à reeleição. "O Duda é mais emoção e o Biondi, mais razão. Essa diferença de estilos ficou clara na disputa em 2002", lembra o cientista político Aldo Fornazieri, diretor da Escola de Sociologia e Política de São Paulo. Na campanha daquele ano, o PSDB enfrentou o desgaste de oito anos da gestão Fernando Henrique Cardoso, e o PT apresentou Lula como a encarnação da mudança. "A campanha do Serra escondeu o legado de Fernando Henrique, não encontrou um mote. Preferiu então adotar o discurso de continuidade com mudança, que não colou", diz Fornazieri.

Duda foi o responsável por suavizar a imagem de Lula, que era alvo de desconfiança do empresariado. Foi ideia dele o mote "Lulinha paz e amor".

Nova geração. O marketing da campanha do ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha, pré-candidato do PT ao Palácio dos Bandeirantes, será coordenado à distância pelo jornalista João Santana, que se dedicará por inteiro à corrida pela reeleição da presidente Dilma Rousseff. Quem responderá pelo dia a dia em São Paulo será o jornalista Eduardo Oinegue. Também pré-candidato, o ex-prefeito Gilberto Kassab (PSD) escolheu Felipe Soutello, que integrou a equipe de Luiz Gonzalez na campanha de José Serra para governador em 2006 e do próprio Kassab à reeleição em 2008.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.