Marqueteiro de Alckmin deixa campanha de tucano à Prefeitura

Raul Cruz Lima assume o lugar de Lucas Pacheco, que vinha sendo criticado por sua estratégia na TV

Gisele Silva, do estadao.com.br, e Ana Paula Scino,

10 de setembro de 2008 | 10h00

O publicitário Lucas Pacheco saiu da campanha de Geraldo Alckmin (PSDB) à Prefeitura de São Paulo. Segundo o coordenador, deputado Edson Aparecido, foi Pacheco que decidiu se afastar e quem assume o lugar do marqueteiro é Raul Cruz Lima. Aparecido nega que a saída abale a candidatura do tucano e diz estar "confiante no segundo turno". "Não abala. Para você ter uma idéia, o Geraldo (Alckmin) já está no estúdio gravando", afirmou. Integrantes mais radicais do comando de campanha vinham defendendo a saída de Pacheco, conforme o Estado antecipou na edição da última terça. Alckmin disputa o segundo lugar na eleição, segundo pesquisas recentes liderada pela petista, com o atual prefeito Gilberto Kassab (DEM), que vem subindo nas pesquisas.   Veja também: Especial: Perfil dos candidatos Alckmistas pedem expulsão de aliados de Kassab Marta arrecadou R$ 4,63 mi; Alckmin, R$ 4,17 mi Blog: propostas dos candidatos de São Paulo na sabatina do 'Grupo Estado' Veja gráfico com a última pesquisa Ibope/Estado/TV Globo Vereador digital: Conheça os candidatos à Câmara de SP  Tire suas dúvidas sobre as eleições de outubro   Uma das principais queixas do núcleo político da campanha era que o marqueteiro não utilizava imagens de Alckmin inaugurando obras quando era governador, estratégia repetida à exaustão na TV nos programas de Kassab e da adversária petista, Marta Suplicy (PT), segundo reportagem do Estado. Na semana passada, o núcleo político da campanha teve uma reunião com o marqueteiro. Pacheco foi advertido sobre o descontentamento do partido com o modelo adotado na publicidade no rádio e na TV. Enquanto os tucanos reclamam de um lado, Pacheco também tem suas queixas de outro. Em conversas reservadas, o marqueteiro tem atribuído aos problemas de "conteúdo, não de forma" o fraco desempenho do candidato do PSDB nos programas de televisão. Ele tem dito a amigos, segundo o Estado apurou, que, por falta de discurso, o grupo político do candidato passou a criticar questões técnicas como iluminação, cenário e edição.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.