Marinho descarta hipótese de deixar prefeitura se vencer

O candidato do PT à Prefeitura de São Bernardo do Campo, ex-ministro do Trabalho e da Previdência Social, Luiz Marinho, votou pouco depois do meio-dia na Escola Estadual Professor Carlos Pezzolo, no Jardim Irajá. Certo que de que venceria a eleição, em primeiro ou segundo turno, ele descartou qualquer possibilidade de deixar a chefia do Executivo no meio do mandato para concorrer ao governo do Estado, como já vem sendo cogitado por vários líderes petistas.As especulações cresceram, principalmente em função de entrevista exclusiva concedida pelo presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, ao Diário do Grande ABC, na qual o chefe da Nação diz que Marinho é uma espécie de "filho" e que faria tudo o que fosse necessário para ajudá-lo a vencer em São Bernardo. Ontem, véspera da eleição, Lula desfilou em carro aberto com Marinho pela principal rua comercial de São Bernardo, mas não teve agenda com Marta, na Capital.Diplomático, Marinho disse: "Quero deixar muito claro para a população da nossa cidade e do Estado de São Paulo que em hipótese alguma serei candidato a governador em 2010, pois isso seria um erro grave, e nós vamos trabalhar de forma intensa nos quatro anos para recuperar São Bernardo". Na seqüência de sua explicação, Marinho deixou escapar um porém. Questionado sobre quem o PT lançaria em 2010 para a sucessão do governador José Serra, o ex-ministro ponderou que essa discussão será pautada "a partir do resultado das urnas na Capital". Ou seja, tudo dependerá de uma vitória ou derrota de Marta Suplicy.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.